/

Você sabe a diferença entre sucralose, Stevia, e xilitol e aspartame?

Os adoçantes não são todos iguais. Cada um tem suas características e propriedades específicas e únicas e, por isso, cada um tem um gosto diferente. Todos, porém, têm a capacidade de adoçar.

Nas quantidades recomendadas, os adoçantes não fazem mal para a saúde e podem, sim, ser uma opção gostosa para diferentes paladares. Quem não gosta de um, pode gostar de outro. Por isso vamos entender um pouco mais sobre estes quatro tipos de adoçantes muito frequentemente utilizados nos alimentos – sucralose, Stevia, xilitol e aspartame – para te ajudar a decidir e optar.

Stevia 

A Stevia é um adoçante natural obtido de uma planta, conhecida dos nossos índios e muito utilizada por eles para adoçar. Tem um pode adoçante 300 vezes maior que o açúcar. Não faz mal à saúde e deve ser consumida, assim como todos os adoçantes, dentro da ingestão diária aceitável (IDA), que é de 5mg por kg de peso corporal, por dia. A grande vantagem da Stevia é que pode ir ao fogo sem perder suas propriedades. Indicada para diabéticos e pessoas que querem restringir as calorias sem perder o gosto “doce” de alguns alimentos.

Sucralose

A sucralose é um adoçante feito em laboratório a partir da molécula do açúcar da cana, portanto, é considerado artificial. Tem um poder adoçante 600 vezes maior que o do açúcar. Resiste bem a altas temperaturas e por isso pode ser utilizada em preparações que vão ao forno, como sobremesas, por exemplo. A sucralose tem a vantagem de evitar cáries.  Estudos demonstram que, dentro da dose de ingestão diária aceitável (IDA) de 15mg/kg de peso corporal por dia, não causa nenhum dano à saúde. Pode ser consumida por diabéticos e pessoas que desejam restringir a ingestão de calorias.

Xilitol 

O xilitol é um adoçante natural, extraído de plantas como milho, ameixa ou framboesa. Tem um poder adoçante semelhante ao do açúcar comum. O xilitol é 40% menos calórico. Pode ser utilizado por diabéticos ou pessoas que necessitam de restrição calórica. Doses maiores que 60g por dia podem ter efeito laxativo. O xilitol, como a sucralose, tem a vantagem de evitar cáries, pois impede a proliferação de suas bactérias causadoras da cárie.

 Aspartame 

O aspartame é um adoçante sintético que foi descoberto em 1965 e desde então é utilizado para adoçar muitos produtos alimentícios e refrigerantes. O aspartame tem a capacidade adoçante 200 vezes maior que o açúcar. Isso significa que para ter o mesmo poder edulcorante do açúcar podemos ingerir uma quantidade de aspartame 200 vezes menor. Por isso pode ser uma opção para os diabéticos e para pessoas que querem restringir as calorias diárias. No entanto, o aspartame não resiste a temperaturas altas e por isso não deve ser utilizado em preparações quentes. Faz mal para a saúde?  Há uma contraindicação: pessoas com fenilcetonúria não devem usar aspartame pois na sua metabolização produz fenilalanina, que para estas pessoas faz mal. Estudos científicos concluem que não há risco para a saúde desde que não se ultrapasse a dose máxima recomendada por dia que é de 50mg/kg de peso, o que equivale, para uma pessoa de 70 kg, a mais ou menos 100 saches de aspartame por dia.

A informação em saúde nos faz ter opções mais conscientes e consistentes.

 

Conteúdo produzido em parceria com a ABIAD.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.