/

Mito ou Verdade: a alimentação normal garante a quantidade necessária de vitamina D para crianças e adultos?

Importante saber que aproximadamente 90% da Vitamina D que circula em nosso organismo provém do Sol. Apenas 10% é obtida pela alimentação.

Por quais razões a alimentação geral é tão pobre em Vitamina D e quais os alimentos que a fornecem em maior quantidade?

Vamos entender: a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que crianças com menos de 1 ano de idade recebam de 400 UI de Vitamina D e as maiores de 1 ano devem receber 600 UI para garantir o crescimento saudável com ossos bem formados.

Para que se tenha uma ideia, 100 gramas de sardinha enlatada fornecem 300 UI de Vitamina D; 90 gramas de atum têm 230 UI; 100 gramas de salmão criado em cativeiro têm de 100 a 250 UI e 100 gramas de fígado de boi têm apenas 50 UI. Nem o leite materno escapa: 1 litro de leite materno fornece de 20 a 40 UI.

Portanto, o Sol é mesmo a maior fonte de Vitamina D.

Por outro lado, tomar Sol nos dias de hoje é muito difícil tanto para crianças como para adultos. A rotina da imensa maioria das pessoas acontece, nos dias atuais, dentro de edificações. Sim, crianças passam a maior parte do dia em escolas, ou em quadras cobertas. Adultos em escritórios, academias ou dentro de casa. Pouquíssimas pessoas têm tempo de ficar – todos os dias, ressalte-se- ao ar livre. O próprio Sol não se mostra diariamente, mesmo em nosso país tropical.

Por isso, a Vitamina D é a única vitamina que tem indicação formal de suplementação pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

Portanto, é MITO. A alimentação normal NÃO nos garante as necessidades diárias de Vitamina D.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.