/

Sinais que indicam gravidade da febre

Aprenda a identificar sinais da gravidade da febre do seu filho e saiba a hora correta de procurar ajuda médica.

Dor de cabeça: algumas crianças se queixam de dor na cabeça. Mesmo que não apresentem febre é importante fazer uma avaliação médica.

Dificuldade para respirar: observe se para respirar a criança usa os músculos da barriga ou do tórax. Isto é um sinal de que há um esforço fora do normal e portanto é um sinal de alerta. Outros indicativos: respiração acelerada, esforço para inspirar ou expirar e afundamento da região do pescoço. A qualquer um destes sintomas procure ajuda médica.

Dor de garganta: observe se o bebê tem dificuldade para engolir ou se for maior, se queixa de dor de garganta. Isto pode indicar uma amigdalite que precisa ser tratada com antibiótico.

Tosse: a tosse persistente acompanhada de febre pode ser indício de pneumonia. Há vários tipos de tosse (seca, irritativa, parecida com a tosse de um cachorro ou com secreção). O médico pode avaliar e indicar o melhor tratamento.

Inchaço e vermelhidão nos olhos ou nas pálpebras em apenas um dos olhos pode indicar uma infecção chamada celulite periorbitária. É uma doença grave que precisa de atendimento médico imediato. Diferencia-se da conjuntivite porque na conjuntivite há uma secreção amarela e a região branca dos olhos ficam vermelhas.

Vômito: se o vômito é persistente e ocorrer ainda com a presença de febre é importante procurar atendimento médico já que pode indicar desde uma gastroenterite até uma meningite.

Diarreia: a diarreia persistente pode levar a um quadro de desidratação. Observe se há presença de muco ou sangue nas fezes. Não considere nenhum destes sinais, normal, avise o pediatra principalmente se o número de evacuações for aumentando e ainda houver presença de febre e mal-estar.

Vômito + diarreia: a associação destes sinais aumenta o risco de desidratação. Fica mais difícil para a criança repor o líquido necessário. Observe portanto se a criança apresenta estes sintomas ao mesmo tempo: olhos fundos, choro sem lágrimas, boca seca, moleira funda, indisposição e palidez. Procure atendimento médico imediatamente.

Dor ou desconforto para fazer xixi pode indicar infecção urinária. Um exame de urina pode tirar a dúvida. Fique atento, especialmente se este sintoma ocorrer com a presença de febre.

Dor de barriga: as crianças normalmente reclamam de dor de barriga mas se esta queixa ocorrer com a presença de febre e distensão abdominal, pode indicar uma infecção por isto é preciso fazer uma investigação rápida.

Dor nas articulações acompanhada ou não de sinais de vermelhidão, inchaço ou calor pode indicar doenças infecciosas e também reumatológicas. O pediatra deve ser informado e caso os sintomas sejam muito intensos vá ao pronto socorro.

Dificuldade para andar pode ser sinal de doenças articulares que comprometem a movimentação. É um sinal de alerta que deve ser investigado.

Bolinhas vermelhas podem ser causadas por diferentes doenças. A maioria delas não é motivo de preocupação, mas só o médico pode fazer uma avaliação exata da gravidade deste sintoma.

Procure um médico imediatamente se a criança tiver manchas roxas pelo corpo. Este sintoma associado com febre, dor de cabeça e vômito pode indicar meningite. Vá imediatamente ao pronto socorro.

Convulsão: o processo infeccioso pode causar convulsões. A grande maioria das convulsões não deixa sequelas. Veja aqui como reagir durante a crise convulsiva. A convulsão associada à febre, pode indicar meningite ou encefalite que são doenças agudas do sistema nervoso central. Por isto é importante procurar ajuda médica

Tremedeira e boca roxa: durante a febre para o corpo treme para produzir calor. Mãos e os pés ficam frios e a boca, arroxeada. Esta é uma resposta aos agentes infecciosos que estão atacando. Se esta reação for muito intensa é importante procurar um médico, pois pode indicar que está ocorrendo uma bacteremia, ou seja, uma bactéria está circulando pelo corpo e poderá se alojar em mais de um ponto infeccioso.

Siga essas dicas e fique alerta os indicadores da gravidade da febre do seu filho.

Saúde!

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar (CRM 48084 | RQE 88268) é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.