/

Ivermectina: serve para prevenir ou tratar o novo Coronavírus?

NÃO. NÃO SERVE.

Esta é a palavra forte com que começamos nosso post. Este grande “NÃO” é a melhor e mais clara resposta para que todos saibam por que a Ivermectina está criando esta confusão e controvérsias enormes.

Muita gente está acreditando que funciona e por isso a está consumindo. Muito cuidado, Pessoal. Eu adoraria dizer para todos vocês que temos um medicamento promissor e eficaz contra a Covid 19. Mas ainda não dá para dizermos isso.

Importante entendermos de onde veio esta “história” da Ivermectina e sabermos por qual razão este post começa com a palavra “NÃO”.

Na primeira semana de abril um grupo de pesquisadores australianos publicou um artigo dizendo que a Ivermectina inibiu o crescimento do novo Coronavírus em estudos dentro do laboratório. Dentro dos tubos de vidro, portanto. Não foi testada em pessoas. Até por que a dose utilizada para isso foi de 10 a 20 MIL VEZES MAIOR que a dose recomendada e indicada  para as pessoas.

Vamos repetir: os efeitos foram observados em um tubo de ensaio com doses cavalares e impossíveis de serem consumidas por pessoas.

Muita gente nem leu o artigo e já saiu falando que a Ivermectina previne e trata o Coronavírus. Pronto: isso foi suficiente para uma corrida desenfreada para adquirir e começar a tomar o medicamento.

Mais um agravante: as pessoas o estão tomando de forma contínua. Leiam a bula: a dose indicada para pessoas é dose única.

Doses altas podem ter efeitos colaterais. Podem comprometer o fígado, podem dar taquicardia, perda de visão e até convulsão.

A Ivermectina é um excelente medicamento antiparasitário, quando usada na dose e no momento corretos. É especialmente indicada para o tratamento de piolhos. Para Coronavírus, não serve. Nem a Ivermectina nem NENHUM OUTRO antiparasitário.

Portanto, muito cuidado, pessoal. Ainda não há medicamentos específicos e seguros para o Coronavírus. Muito provavelmente um dia haverá e aí todos saberemos pois o mundo inteiro vai recomendar e utilizar com a devida segurança.

Por enquanto, nossa maior esperança está na vacina que deve chegar em 2021. Até lá, vamos seguir de máscaras, lavando as mãos e mantendo o distanciamento social. Isso sim, funciona.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.