/

Com que idade as crianças devem começar a falar?

Você conseguiria entender e aprender a falar uma língua bem diferente do português como chinês, alemão, grego ou japonês em um ano e meio, dois anos no máximo… ? Sem ter aulas e sem ter frequentado uma escola de línguas?

Quase impossível, não é mesmo? Pois é isso que os bebês fazem. Em dois anos já entendem bem o que você quer dizer e já conseguem formar frases de três palavras, em média. É tão rápido, que aos três anos de idade as crianças já conseguem manter uma conversa.

Mas isto não quer dizer que eles não se comuniquem. O choro é a primeira forma de expressão dos bebês. E o mais interessante é que pais e cuidadores rapidinho entendem essa “linguagem”. Quantas vezes já ouvimos um bebê chorar e na sequencia a mãe traduzir para todos: “isso é fome!”. Ou, aparentemente, volta o mesmo choro e lá vem a tradução: “ele está com cólicas!!” Assim o bebê se comunica: um choro diferente para cada situação diferente. E nós entendemos e acudimos alimentando, aconchegando ou trocando a fralda… até o próximo chorinho!

Mas a grande “escola” de bebês e crianças pequenas são os pais e cuidadores. Isso mesmo. Eles aprendem a falar nos ouvindo. Por isso a forma com que nos comunicamos com eles é tão importante.

Podemos ajudar ou atrapalhar muito.

O que mais ajuda é conversar. Sempre!! Independentemente da idade!! Quando for trocar a fralda ou dar banho, converse ou cante. Prefira um tom de voz gostoso e procure pronunciar cada palavra corretamente. Leia para seu filho maior. Conte histórias. Aponte desenhos, figuras e explique quem é o leão, o macaco ou o carro, por exemplo. Converse sempre.

Crianças muitas vezes têm uma pronúncia errada e achamos uma gracinha. Ai começamos a imitá-los e a repetir o erro. Cuidado! Este é um estímulo que não ajuda a falar direito. Procure também não entender “de cara” tudo o que eles querem dizer. Faça-os se esforçarem um pouco para falar. Lembre-se que a língua é um músculo e que também precisa ser exercitado.

Comunique-se com as crianças. Com o olhar, com gestos e com palavras. Participar deste processo mágico é a maior recompensa e o nosso maior aprendizado!

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.