Homeopatia tem contra indicação? Dra Ana Escobar
07/02/2019 14:36h

Homeopatia tem contra indicação?

O conhecimento científico avança a cada segundo no mundo. Novas e mais novas descobertas realizadas tem como objetivo nos propiciar uma vida mais longa e, principalmente, com mais qualidade.

A medicina tradicional nos oferece hoje um arsenal terapêutico gigante, farto em opções e possibilidades. Isso é muito bom.

A medicina homeopática seguiu o mesmo caminho: nos últimos anos cresceu e ampliou o horizonte de conhecimentos e possibilidades terapêuticas. Isso também é muito bom.

Então…vem a dúvida cruel: medicina tradicional, também chamada de alopática, ou a medicina homeopática: qual utilizar? Uma necessariamente contraindica a outra? Vamos pensar.

A medicina homeopática tem como base o princípio de que o “semelhante cura o semelhante”. Isso significa que a terapêutica é individual, indicada para cada um, com medicamentos administrados em doses pequenas e que visam estimular o organismo para deixa-lo equilibrado e preparado para reagir a doenças específicas.

A medicina tradicional ou alopática, ao contrário, tem como base aplicar um medicamento antagônico ao efeito da doença. Por exemplo, se estamos com febre, tomamos um antitérmico; se temos uma inflamação um anti-inflamatório; acidez estomacal, um antiácido, e por ai em diante.

Uma exclui a outra? Aí é que está: NÃO. Podemos nos beneficiar das duas.

A medicina convencional é insuperável em inúmeras situações clínicas ou cirúrgicas; quando se necessita de um tratamento de urgência ou emergência, ou até mesmo preventivo, como é o caso das vacinas.

A medicina homeopática, por sua vez, pode nos fornecer opções terapêuticas preventivas e curativas muito interessantes, que podem ser utilizadas em quaisquer faixas etárias. Importante saber que os medicamentos homeopáticos são em geral compostos com doses muito pequenas e praticamente são isentos de efeitos colaterais indesejáveis. São muito seguros.

Duas formas terapêuticas, mesmo que se apresentem com visões diferentes, nem sempre são excludentes. Ao contrário, podem ser complementares, desde que utilizadas com inteligência. Para o bom senso e para a lucidez de pensamentos não há contraindicações!