/

Com quantos dias de vida o umbigo do recém nascido deve cair?

Com quantos dias de vida o umbigo do recém-nascido deve cair?

Muitas mães olham o coto umbilical com uma certa aflição. Aquele pedaço de substância meio gelatinosa, que com o passar dos dias vai ficando preta, presa no corpo do bebê que acabou de nascer e que, ainda por cima, de vez em quando fica com uma secreção escura, que precisa ser limpa… Só de olhar surgem as dúvidas e um certo receio de mexer.

A Importância do Umbigo do Bebê

Vamos, porém, enxergar o coto umbilical com outros olhos. Vamos entender sua vital importância ao longo dos 9 meses de gestação. O umbigo possui duas artérias e uma veia, que levam todos os nutrientes e fatores que são essenciais para o crescimento do bebê como, por exemplo, oxigênio, vitaminas, proteínas, carboidratos, anticorpos…e tudo o que é necessário para formar os órgãos e os sistemas do organismo, em uma vida que está tomando forma e começando.

Depois do primeiro chorinho, quando o bebê nasce, o umbigo do recém-nascido para de pulsar. Sua função está cumprida. Está na hora de ser cortado. Rompe-se, assim, a ligação umbilical com a mãe. O organismo do bebê, a partir deste momento, tem que dar conta de si mesmo. O oxigênio é providenciado pelo sistema respiratório e os nutrientes pela amamentação.

Quando deve cair o umbigo dos recém-nascidos?

O umbigo do recém-nascido, agora sem função, vai secando e “murchando” – e por isso vai ficando preto – até que, depois de uma ou no máximo 3 semanas, desprende-se espontaneamente do corpo que ajudou a formar.

Avise sempre o pediatra se o umbigo está com secreção malcheirosa, ou com sangue vermelho vivo, ou se a pele ao redor estiver muito vermelha. Estes são os principais sinais de alerta.

O cordão umbilical é vital em um  momento específico da vida e desprende-se, espontaneamente e sem conflitos, em outro momento, sabendo-se inútil. O cordão umbilical é um exemplo para nós.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar (CRM 48084 | RQE 88268) é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.

Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar nosso site, você consente com todos os cookies de acordo com nossa Política de Cookies. Saiba mais