/

Três sinais que podem indicar o diagnóstico de Distrofia Muscular de Duchenne

A Distrofia Muscular de Duchenne é uma doença crônica, que não tem cura e que pode ser identificada em crianças já nos primeiros anos de vida. É uma doença genética, ligada ao cromossomo X e, por isso, os meninos são muito mais acometidos.

Caracteriza-se pelo enfraquecimento dos músculos, que progressivamente vão perdendo sua capacidade funcional. Inicia-se nos membros inferiores e pode atingir os músculos respiratórios. Fique atento aos seguintes sinais que podem indicar precocemente a Distrofia Muscular de Duchenne:

1. Atraso para falar, andar ou correr. Quaisquer meninos que demorem para aprender a andar, que caiam frequentemente, ou que não consigam acompanhar os colegas nas brincadeiras de correr, subir escadas ou em brinquedos devem ser investigados.

2. Meninos que, para se levantar do chão, necessitam obrigatoriamente utilizar o apoio dos braços, uma vez que as pernas são fracas e não garantem a força suficiente. Isto se chama Sinal de Gowers.

3. Exame de sangue com aumento de CK. A CK, que tem o complicado nome de creatinoquinase, é uma proteína muscular que se encontra elevada na Distrofia Muscular de Duchenne. Outra dica é o aumento de 2 enzimas específicas do fígado, que chamamos de TGO e TGP, sem que haja uma causa relacionada ao fígado que explique esse aumento.

Qualquer criança, principalmente se for um menino, que apresente estes sinais deve ser avaliado pelo médico, que deve indicar os testes genéticos para o diagnóstico definitivo de Distrofia Muscular de Duchenne. Se confirmado, é importante que os devidos cuidados sejam iniciados o mais rapidamente possível.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.