/

Pai e mãe são igualmente importantes na criação dos filhos?

As composições familiares de hoje variam bastante e está tudo certo ser assim. O mundo anda para frente e o caminho é irreversível.

As estruturas familiares tradicionais, intocáveis e indissolúveis do início do século passado dão lugar a novas composições. Pais se separam, casam de novo e compõem novos núcleos, famílias são formadas com dois pais ou com duas mães e a isso tudo podemos chamar evolução.

Importante saber que crianças precisam de adulto(s) cuidador(es). Principalmente crianças pequenas. Adultos que supram suas necessidades básicas e que as orientem, aconcheguem, deem o amor e o carinho de que tanto precisam para formar bases afetivas e cognitivas sólidas e duradouras.

No dia a dia, não é fácil cuidar dos pequenos. São muitas as tarefas. Muitas mesmo. Vocês sabem disso melhor que ninguém. Por isso, se estas tarefas forem compartilhadas, muito melhor para todos.

Pais não devem “ajudar” em casa. Nada disso. “Ajudar” significa que aquela tarefa não é sua e você vai simplesmente ajudar o “dono” da tarefa a realiza-la. O termo correto é compartilhar. Isso mesmo. As tarefas são dos dois e devem ser divididas igualmente, independentemente da composição familiar. Independentemente até do fato de morarem juntos na mesma casa. As tarefas referentes aos filhos devem ser sempre compartilhadas.

A verdadeira maternidade ou paternidade se exerce em conjunto. Para as crianças, isso é essencial, pois se sentem cuidadas integralmente, em mais plenitude, e aprendem, desde cedo, que a casa é de todos e que as responsabilidades divididas igualmente são o melhor exemplo se pode dar.

 

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.