/

O teste do olhinho, realizado nos bebês, pode evitar doenças que levam à perda da visão?

O Teste do Olhinho deve ser realizado em todos os bebês antes da alta da Maternidade e pelo menos 2-3 vezes ao ano nos primeiros 3 anos de vida.

É um teste extremamente rápido e simples, que não necessita nem de sedação e nem de dilatação da pupila. O próprio pediatra pode realiza-lo com um oftalmoscópio que incide um foco de luz a 30 cm dos olhinhos do bebê.

Caso alguma alteração seja detectada, o bebê deve ser encaminhado para uma avaliação com o oftalmologista até 30 dias de vida, para realizar exames mais específicos como o Reflexo Vermelho Ampliado ou Teste Digital do Olhinho. Este teste consiste em dilatar a pupila do bebê – não precisa de sedação – e tirar uma “foto” da retina com a câmara de um retinógrafo. Esta foto é digitalmente analisada e pode detectar inúmeras doenças com mais precisão.

O Teste do Olhinho pode detectar precocemente doenças que podem causar cegueira nos bebês como, por exemplo, tumores como o retinoblastoma, catarata ou glaucoma congênitos, hemorragias ou inflamações intraoculares como a que acontece em casos de toxoplasmose.

Por isso, é VERDADE: o Teste do Olhinho pode, sim, detectar precocemente doenças que levam à perda de visão para o resto da vida. Segundo a organização Mundial de Saúde, de cada 10 casos de perda de visão, 8 poderiam ser evitados se diagnosticados precocemente.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar (CRM 48084 | RQE 88268) é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.