/

Por que os bebês não podem tomar leite de vaca integral?

Neste artigo, a Dr. Ana explica por que não devemos dar leite de vaca para bebês e apresenta informações sobre o leite materno.

 

Já pensou se você tivesse que DOBRAR o seu peso em 5 meses? Isto significaria por exemplo, ir de 60 para 120 quilos!!! Por mais que comer seja gostoso, não seria nada fácil, não é mesmo?

Pois é exatamente isso que os bebês fazem. Eles nascem com cerca de três quilos e aos cinco meses devem pesar mais ou menos seis!! É um ritmo de crescimento incrivelmente acelerado! Mais fantástico ainda: eles conseguem tudo isso ingerindo apenas um tipo de alimento, o leite materno. Isso mesmo.

 

A Importância do Leite Materno

Por isso é que o leite materno possui TODOS os nutrientes necessários e as defesas que garantem o desenvolvimento saudável do bebê. Um destes nutrientes são as proteínas. O tipo e a quantidade de proteínas que o leite materno contém são muito mais apropriados para este crescimento o ganho de peso adequado nos primeiros meses de vida.

Importante saber que leite de vaca contém uma quantidade maior de proteínas, quando comparado ao leite materno. Mas isso não é bom nem saudável para o bebê. Sobrecarrega o rim e favorece a obesidade na vida adulta. Por isso nem sempre quantidade é sinônimo de qualidade. O leite materno tem menor quantidade de proteínas, mas que são de altíssima qualidade. Bebês crescem e ganham peso de forma muito mais saudável com o leite humano. Porém, em algumas circunstâncias o aleitamento materno não é possível e por isso temos que usar outro tipo de leite.

Crianças maiores, adolescentes e adultos tomam o leite de vaca. É o mais consumido por todos. A prateleira do supermercado nos oferece uma ampla variedade de tipos. Mas para bebês, o leite de vaca integral não é adequado.

 

Por que não dar leite de vaca para bebê?

Entenda: o leite de vaca tem uma composição perfeita para o bezerrinho que acabou de nascer, e não para o bebê. Por várias razões: a proteína do leite de vaca tem uma estrutura muito grande e complexa e pode provocar alergia, sangramento na mucosa intestinal e, portanto, sangue nas fezes.

O excesso de proteínas pode causar futuros adultos obesos e sobrecarrega o rim dos bebês. Pode também causar anemia por deficiência de ferro e tem muito sódio que, a longo prazo, contribui para o aparecimento de hipertensão.
Além disso, apresenta concentrações insuficientes de zinco, selênio, vitamina C, vitamina D e gorduras essenciais para o desenvolvimento neurológico nesta fase.

 

Então, o que fazer para alimentar bebês quando o leite materno não é possível?

Existem fórmulas infantis adequadas para crianças pequenas. A grande maioria tem como base o próprio leite de vaca, só que a composição é processada e modificada. Algumas fórmulas infantis, inclusive, melhoraram a qualidade da proteína a tal ponto, permitindo que sua quantidade fosse mais reduzida. Assim, a quantidade e a qualidade das proteínas, de ferro, de gorduras, de vitaminas e de açúcares foram ajustadas para que o bebê cresça mais saudavelmente e sem riscos. Principalmente sem riscos de obesidade no futuro.

Há muitas variedades de fórmulas infantis além daquelas para o bebê saudável, existem algumas para situações especiais como as antiregurgitação, hipoalergênicas, ou sem lactose, por exemplo. O pediatra ou a nutricionista é que podem orientar a melhor fórmula para cada bebê.

“Quem não chora, não mama”, já diz o ditado. Mas é sempre importante mamar o leite correto! Saúde!

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.