/

Flexibilização da quarentena: entenda o que isso significa

Em primeiro lugar é importante dizer e reiterar muitas e muitas vezes que flexibilização da quarentena NÃO significa que estamos livres para sair desnecessariamente de casa.

A quarentena segue, só que com outras regras.

Cada estado e cada cidade estão optando por uma forma de flexibilização, idealmente com base nos dados fornecidos pela saúde.

Isso deve significar que:

  1. O sistema de saúde deve ter como atender a todas as pessoas que procurarem atendimento;
  2. Há vagas em UTI para todos os que dela necessitarem;
  3. O número de casos novos se estabilizou há pelo menos 14 dias;
  4. O número de óbitos está diminuindo;
  5. Há a possibilidade de testar o maior número possível de pessoas.

Como vocês podem perceber, a flexibilização não vai ocorrer de um momento mágico para o outro.

É um processo que anda vagarosamente, apoiado nestes 5 critérios, como se fossem 5 “pés” estruturais. Um “pé” não pode caminhar sem os outros. Todos devem andar no mesmo compasso.

MAIS IMPORTANTE: este processo pode andar TANTO PARA FRENTE COMO PARA TRÁS.

Exatamente assim: se tudo estiver dando certo, caminhamos juntos para frente. Se um destes critérios não for bem, vai puxar todos os outros para trás. Aí andaremos para trás.

Por isso, é importante que tenhamos bem claro que flexibilização NÃO significa sairmos de casa para correr nas ruas ou passear com as crianças nos shoppings. Significa que alguns segmentos podem abrir e isso vai nos ajudar quando efetivamente precisarmos.

Temos que ser responsáveis, Pessoal. Vamos continuar nos ajudando mutuamente e só assim poderemos salvar vidas e seguir caminhando, lentamente, um passo após o outro, para frente. Sempre juntos.

 

 

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar (CRM 48084-SP) é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.