/

Entendendo o choro do bebê

O choro é a forma de comunicação do bebê. É o primeiro processo que o ensina a explicitar um desejo e ser atendido. Um exemplo: quando chora porque está com fome e é oferecido o peito, o bebê entende a “resposta”.

Nem sempre o choro do bebê indica dor. Por este motivo, os pais não devem ficar aflitos, achando que tem que acalmar o filho a todo momento. Durante o choro, o corpo do bebê libera adrenalina que promove a conexão dos neurônios. Quando o cérebro recebe a quantidade adequada deste hormônio, o bebê para de chorar.

Os pais sabem diferenciar os tipos de choro do bebê. O de fome, em geral é forte e muito alto. E claro, acaba assim que o bebê recebe o alimento.

Se o bebê tem algum desconforto, o tipo de choro costuma ser mais fraco e contínuo. O desconforto pode ser fralda suja ou muito molhada, roupa apertando ou inadequada à temperatura, ou vontade de mudar de posição. Quando quer colo ou chupeta, os bebês também costumam se expressar deste jeito.

O choro de dor é mais estridente. O bebê se agita, estica as perninhas e pode ter lágrimas. Não acaba nem com peito, nem com colo, nem com movimento. O tipo de dor mais comum nos bebês são: cólica e refluxo gastroesofágico.

O choro de manha acaba assim que o bebê vai para o colo ou é distraído.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.