/

Existe dor de crescimento?

Foi um dia intenso com as crianças. Muitas brincadeiras no parque, ao ar livre. À noite, espera-se que depois do banho e do jantar caiam na cama e durmam gostoso, sonhando com tudo de bom. Mas… um tempinho depois, chamam os pais reclamando e/ou chorando com dor nas pernas. Muita dor. Uma dor inespecífica, difusa, geralmente nas canelas ou na região da coxa, sem muita explicação.

Pais confusos acendem a luz e olham. Não veem nada. Não há sinais de picadas de insetos, regiões mais vermelhas, inchadas, nem com restrição de movimentos. E o mais interessante é que os pais, angustiados com a queixa dos filhos, começam, instintivamente, a fazer uma massagem na região dolorida. E para grata surpresa de todos… a dor melhora! E finalmente pais e filhos dormem tranquilos.
No dia seguinte, as crianças “pulam” da cama e iniciam suas atividades normalmente, andando, correndo e brincando… como se nada tivesse acontecido.

Isso é o que chamamos “dor de crescimento”. Uma dor aguda, geralmente no final do dia, depois de muita atividade física, que ora incide mais em uma perna, ora em outra. E melhora com massagem. No dia seguinte, tudo volta ao normal.

Não existe uma causa nem uma explicação lógica para a dor de crescimento. Ela é mais comum em crianças na idade escolar. Mas atenção, quem define o diagnóstico de dor de crescimento é o médico. Há muitas outras doenças, algumas até muito graves, que podem começar nas crianças com o sintoma de dor nas pernas. Por isso, SEMPRE procure o médico e só ele é quem pode definir corretamente o diagnóstico.

Fica então a dica: toda dor que seu filho(a) apresentar nas pernas merece uma consulta médica.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.