/

A tosse é sempre um sinal de alerta?

A tosse é um dos sintomas mais recorrentes em crianças e adultos. Quando é muita intensa, atrapalha o dia, a noite, o sono e a qualidade de vida de todos.

A tosse é uma resposta do corpo que procura “expulsar” as secreções produzidas nas vias respiratórias e/ou “limpar” a mucosa que está inflamada. A tosse pode, portanto, ter várias causas e cada uma delas pode determinar um tipo diferente de tosse.

Quais são os principais tipos de tosse?

Há basicamente dois tipos de tosse: a tosse seca, irritativa, sem secreção e a tosse “molhada”, ou produtiva, como se chama, que é a tosse com secreção. Em muitas situações, a tosse seca pode ficar produtiva.

Quais são as principais causas de tosse?

– Tosse seca, irritativa, sem secreção, sem febre  ou sinais de gripe: pode ter causa alérgica – principalmente quando há muita poluição no ar ou no ambiente-  ou ser decorrente de refluxo gastresofágico. Quem tem refluxo pode ter tosse! Isso ocorre por dois motivos. Primeiro: o ácido do estômago sobe para o esôfago e provoca uma inflamação que causa a tosse. Segundo: microaspirações que acontecem em decorrência do refluxo. Não há febre, nem sintomas de gripe. Muitas vezes as pessoas sentem azia ou um desconforto gástrico.

– Tosse seca, irritativa, sem secreção e com febre: pode ter causa infecciosa e geralmente é causada por vírus que podem levar à faringite, laringite, traqueíte ou bronquite. Na laringite a tosse é bem alta e por isso é chamada tosse “ladrante” ou “tosse de cachorro”. Nos bebês a bronquiolite, que é uma doença causada por vírus, também pode dar este tipo de tosse. Gripes, resfriados e pneumonias também podem dar tosse inicialmente seca e sem secreção.

– Tosse produtiva, com secreção, com ou sem febre: pode ter causas infecciosas que acometem tanto as vias respiratórias superiores como as vias respiratórias inferiores. Pode ser causada, portanto, por algumas situações tais como: bronquite catarral, pneumonia, gripes, resfriados ou sinusite. No caso específico da sinusite, a tosse noturna é uma característica bastante frequente.

– Tosse com chiado no peito: pode ser seca inicialmente e depois com secreção. Acompanha quadros de asma, bronquite ou bronquiolite.

Vejam que muitas doenças podem dar variados tipos de tosse. Por isso, vale sempre consultar um médico que, após o exame e ausculta do pulmão, pode identificar melhor a causa.

Quando devemos nos preocupar com a tosse? Veja as dicas:

  1. Fique atento aos sintomas concomitantes. Se a tosse vier acompanhada de febre, dificuldade para respirar, cansaço, dores pelo corpo ou náuseas procure o seu médico ou vá a um Pronto Socorro para ser examinado.
  2. Observe o horário em que a tosse se intensifica. Há tosses que são predominantes ao longo do dia e outras que incidem mais à noite. Há também as que persistem dia e noite! Esta informação é muito importante para o médico, pois pode orientar o diagnóstico. A tosse da sinusite, por exemplo, acontece com mais frequência à noite, algum tempo depois que a pessoa se deita. A tosse de uma pneumonia acontece dia e noite. A tosse da asma ou da bronquite também acontecem dia e noite e em geral pioram com a atividade física. A tosse da laringite espasmódica acontece mais à noite, e por incrível que pareça melhora quando a criança respira um ar mais frio.
  3. Fique atento à duração da tosse. Nos processos agudos, a tosse em geral melhora em 7 a 14 dias. Se estiver constante e durando mais de 10 dias, vale uma consulta com o médico para avaliar. A tosse do refluxo, por exemplo, pode durar semanas.
  4. Observe o estado geral de quem está com tosse. Se o adulto ou criança estiverem com tosse e em ótimo estado de ânimo, sem que suas atividades de rotina estejam prejudicadas, atividades físicas incluídas, é um bom sinal. Se durar muito tempo, isto é, mais de 14 dias, recomenda-se conversar com o médico.

Para os vários tipos e causas de tosse existe um tratamento específico. Mas o melhor de tudo é prevenir a tosse e as doenças que a causam. Para tanto, converse com seu médico.

Tosse: faz bem ou faz mal?

Tossir faz bem para a saúde? Expulsa as secreções?

Depende do tipo de tosse.  Os dois mais comuns, nos extremos do espectro, são: de um lado, a tosse que tem muita secreção, com catarro, que é chamada de produtiva, e que por vezes até induz ao vômito de tanta secreção; e do outro lado a tosse seca, irritativa, que não tem secreção, que “arranha” a garganta e que muitas vezes é bem alta, estridulosa, barulhenta, que lembra a tosse de cachorro.

Assim, a tosse com catarro indica que há secreção nas vias respiratórias. Estas secreções podem ser provenientes de um processo infeccioso como bronquite, sinusite ou pneumonia, por exemplo. Por isso, esta tosse é do “bem”. Isso significa que é bom tossir para expelir estas secreções que não se devem acumular nas vias respiratórias.

Esta tosse não deve ser inibida sob nenhuma hipótese. Deve-se tossir e para ajudar a eliminação das secreções, pode haver a orientação médica de alguns medicamentos mucolíticos que, como o próprio nome indica, ajudam a deixar as secreções menos “pegajosas”, mais fluidificadas e, portanto, mais fáceis de ser eliminadas pela tosse.

Já a tosse seca, irritativa, sem secreção, pode indicar um processo alérgico nas vias respiratórias. Este processo pode ser intenso a ponto de produzir edema ou inchaço na mucosa, aumentando ainda mais o vigor da tosse. Os músculos que nos fazem tossir ficam doídos de tanto que “trabalham”. Ninguém dorme na casa.

O dia seguinte fica complicado para todos; crianças sonolentas e exaustas, pais com olheiras e sem forças para o trabalho. Claro que este tipo de tosse, que chamamos de não produtiva, pode ser controlada com a indicação médica de produtos específicos.

A tosse pode ser mocinha ou vilã. O tratamento deve ter a orientação médica, uma vez que a automedicação pode também ser mocinha ou vilã para sua saúde.

Mito ou Verdade: xarope de guaco é bom para a tosse?

O uso do guaco como planta medicinal é bastante conhecido e antigo. Há muito tempo foi utilizado pelos índios para tentar combater o veneno de cobras.

Atualmente estudos demonstram que o guaco pode, sim, ser utilizado na forma de xaropes para aliviar os sintomas da tosse ou rouquidão que acompanham quadros de gripes e resfriados.

Portanto, é VERDADE: xarope de guaco é bom para a tosse.

Existe receita caseira boa pra tosse?

Toda vó tem uma Receita caseira boa pra tosse! Não é mesmo?

Há muitos xaropes indicados para tosse, mas só o médico pode prescrever. Então o que fazer até o dia seguinte chegar?

Esta receita caseira pode ajudar muito, especialmente no meio da noite: pegue uma colher de sopa de açúcar e coloque numa panela. Leve ao fogo. O açúcar vai queimando e fica parecendo um “melado”. Quando isto acontecer, coloque 200 ml de leite e mexa bem. Sirva ainda quentinho para quem estiver com tosse.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.