24/03/2019 18:23h

Que riscos correm os bebês que nascem com menos de 2,5 kg?

Os berçários hoje estão cheios de bebês pequenos. Bem pequenos. Com menos de 2,5 kg. Alguns são tão pequenos que tem que ficar nas “incubadoras” recebendo calor e muitas vezes oxigênio. Isso mesmo. Ainda que embrulhados em roupinhas, muitos não conseguem manter o calor necessário para a sobrevivência. Mas nem todos os bebês “pequenininhos” são iguais. Há basicamente duas causas para os bebês nascerem com menos de 2,5 kg.
Vamos entender essa importante diferença.
Há os bebês “prematuros”, que são aqueles que podemos chamar de “apressadinhos” pois, por várias causas e razões, nasceram antes do tempo. Só que não deu tempo ainda dos seus órgãos estarem prontos para funcionar. Por isso geralmente vão para a incubadora, onde ficam quietinhos, esperando os órgãos “amadurecerem”. Principalmente o pulmão, que é vital para a existência.
Mas há também aqueles bebês que não conseguiram se desenvolver plenamente na sua vida intrauterina. Não nasceram antes do tempo, ficaram dentro do útero praticamente até os nove meses regulamentares, mas por algumas razões, como uma doença materna, por exemplo, estes bebês não conseguiram ganhar mais do que 2,5 kg. É como se tivessem feito “um regime para emagrecer” dentro do útero.
Portanto, as duas situações exigem muito cuidado e atenção por parte de pais, cuidadores e pediatras. Não só no momento do nascimento, mas durante toda a vida. Isso mesmo!! Principalmente na vida adulta. Essa é grande novidade dos últimos anos de estudo nesta área. Por quê?
Pesquisas atuais mostram que bebês que nasceram com baixo peso, especialmente aqueles que nasceram no tempo gestacional normal, perto de 9 meses e mesmo assim pesaram menos que 2,5 kg, tem uma chance muito maior de se tornarem adultos hipertensos, obesos e com maior risco para doenças cardiovasculares. É importante saber isso, pois esta informação nos permite antecipar situações de risco e indicar as prevenções necessárias.
Estudar e pesquisar sempre! Está é uma das metas da medicina. A aquisição de novos conhecimentos é a passagem para uma vida com mais qualidade e saúde.
Dra Ana Escobar

Dra Ana Escobar

Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria. Atualmente, é coordenadora da Disciplina de Pediatria Preventiva e Social desse mesmo departamento. Ainda na área educacional, é responsável pelas disciplinas de graduação e pós graduação sensu lato e sensu stricto da Faculdade de Medicina da USP.
Dra Ana Escobar