11/03/2019 13:49h

Fim da licença maternidade e volta ao trabalho

Se a mãe trabalha fora, o fim da licença maternidade e a volta ao trabalho significa um momento de ruptura tão forte quanto o corte do cordão umbilical. O sofrimento é o mesmo independentemente se a opção é deixar o filho na creche ou com um cuidador. A separação não é fácil, mas é necessária e traz benefícios tanto para a mãe quanto para o filho. Os dois crescem e amadurecem com esta situação.

A criança aprende a confiar em outros adultos, amplia sua rede afetiva e portanto, ao saber que pode contar com mais pessoas se sente mais segura e protegida.

Com o fim da licença maternidade e ao voltar para a sua rotina, a mãe tem uma oportunidade de se reencontrar consigo mesma, redefinir prioridades e exercitar os próprios limites.

O filho precisa aprender a exercer sua individualidade, expressar seus desejos.

E há uma recompensa: quando retorna a casa, a mãe pode até se surpreender ao perceber “como o filho está crescido”. Não fosse esse distanciamento temporário, dificilmente haveria esta percepção. Não é a presença integral a ponte única e exclusiva para um vínculo forte entre mãe e filho. Mãe trabalhe fora ou não, é mãe, para sempre.

Dra Ana Escobar

Dra Ana Escobar

Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria. Atualmente, é coordenadora da Disciplina de Pediatria Preventiva e Social desse mesmo departamento. Ainda na área educacional, é responsável pelas disciplinas de graduação e pós graduação sensu lato e sensu stricto da Faculdade de Medicina da USP.
Dra Ana Escobar