/

Desenvolvimento motor

O desenvolvimento motor é craniocaudal, ou seja, começa pela cabeça e termina nos pés.

Sendo assim, aos três meses de idade os bebês devem ser capazes de manter a cabeça firme. Aos quatro meses tem mais firmeza na cintura e conseguem virar, se colocados de barriga para cima mexem os braços e os pés, de bruços são capazes de colocar a cabeça em pé e girar o rosto.

Aos cinco meses já conseguem ficar sentados com apoio. Alcançam os pés e brinquedos que colocam na boca.

Aos seis meses ficam mais eretos e por isto, gostam de lugares mais altos de onde podem observar o mundo e também se divertir. Trocam objetos de uma mão para outra. Adoram ficar de pé pulando, seguros no tórax por um adulto.

Com sete meses, o bebê consegue ficar sentado sozinho. Pegam alimentos com as mãos ou com a colher, tentam acertar a boca. É preciso paciência com esta bagunça, pois este é um estímulo fundamental.

Nesta fase até os nove meses, o chão é o lugar preferido para as brincadeiras. Ponha um pano grosso e deixe a criança explorar o espaço. Fique atento ao tamanho dos brinquedos e também à possibilidade de que alguma peça solte ou quebre. Para o bebê é muito natural levar tudo para a boca. Por isso atenção redobrada!

Aos nove meses, em geral, os bebês começam a engatinhar. A partir de agora, o risco de acidentes domésticos aumenta. Você terá na sua casa um pequeno explorador. E a cada fase, a curiosidade será maior, por isto é preciso ficar atento a armadilhas inimagináveis mas que colocam a integridade física do bebê em risco.

Quando completa dez meses, a maioria dos bebês já consegue ficar em pé e anda de lado se apoiando no sofá ou em outros objetos. Se um adulto oferece ajuda, os bebês conseguem andar. Importante: nesta fase não é recomendável usar o andador.

Ao completar um ano de idade o bebê já começa a andar. Para aumentar a base de sustentação, o bebê abre as pernas e dá passos bem inseguros. O fato do pé ainda ser arredondado, sem a arcada natural, também dificulta o equilíbrio. Invariavelmente caem de bumbum no chão, mas logo recomeçam a tentativa.

Claro, toda esta evolução é uma média. Algumas crianças se adiantam outras se atrasam. Se o bebê completar 1 ano e 3 meses e ainda não estiver andando, fale com seu pediatra.

Com um ano e meio a maioria das crianças já consegue correr, subir e descer da cadeira, do sofá e da cama de costas. Como se arriscam mais, também caem mais.

Nesta época as habilidades manuais também se aperfeiçoam. São capazes de empilhar blocos, fazer encaixes, rabiscar…

Já prestes a completar dois anos, as crianças já sobem e descem dos objetos com facilidade, também já correm e pulam com muito mais precisão.

Em todas estas fases o estímulo é tão importante quanto os cuidados para manter a casa segura. Lembre-se: este pequeno aventureiro não tem nenhuma noção de perigo e pode se machucar em situações que dificilmente pensamos.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.