/

É normal descontar as emoções na comida?

“Vamos fazer um jantar para comemorar!!!”

“Não vai comer? Fiz com tanto carinho, especialmente para você!!!”

Você já ouviu – ou disse – frases como estas? Certamente sim…

Ainda nos primeiros dias de vida, isto é, durante a amamentação, os bebês aprendem a relacionar alimentos a carinho. Crescemos e continuamos dando e recebendo comida como uma forma de celebração. Sempre foi e sempre será assim.

Já pensou em uma festa de aniversário sem bolo ou sem brigadeiro? Um casamento sem docinhos? Um almoço de Natal sem peru?

Não importa o ritual ou o prato principal. O ato de comer, indiscutivelmente, está relacionado a prazer. Todos fazemos isso.

O contrário também é verdadeiro. Você consegue fazer uma dieta rigorosa ou se privar de alimentos que você adora e manter o bom humor? Difícil, não é?

É muito comum encontrar pessoas que, quando mais tensas, descontam na comida como uma forma de recompensa… um prazer certo, imediato e sem limites. Outros, na mesma situação travam a boca e não conseguem comer nada. Fecham-se para o mundo e nenhum tipo de sensação agradável é possível de ser aproveitada.

Estas reações mesmo opostas são normais porque nós somos humanos. Só que em algumas ocasiões a nossa razão tem que falar mais alto para que a gente não se arrependa mais tarde. Nem para um lado, comendo demais nas crises, nem para o outro, comendo de menos e prejudicando nosso organismo.

Emoção e razão! Aí está a chave do equilíbrio para controlar – para mais ou para menos – nosso apetite em todos os momentos da vida!

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.