/

Nascemos criativos ou criatividade se desenvolve?

Observe os bebês de nove meses. Engatinham a casa inteira, exploram todos os espaços possíveis e alguns locais inimagináveis. Com 1 ano de idade, quando começam a andar e a se locomover com maior rapidez… todo cuidado é pouco. O ambiente que as cerca vira, instantaneamente, um mundo de oportunidades e descobertas novas.

O que move os bebês é a curiosidade e a necessidade natural de chegar onde o olhar alcança. Mas muitas crianças querem chegar onde o olhar NÃO alcança. Aí entra em cena outra característica com a qual nascemos e que para ser desenvolvida só precisa de oportunidade: a criatividade. Isso é o que faz com que uma criança, por exemplo, pegue um banquinho, empurre até uma estante para alcançar uma possível “recompensa” escondida numa prateleira mais alta. A criatividade nos dá estratégias para superarmos obstáculos.

Todos nós nascemos com capacidade criativa. Só que para que ela possa se desenvolver com plenitude, há que se oferecer estímulos e criar oportunidades. Como fazer isso com as crianças? Simples assim: deixando-as brincar livremente. As brincadeiras espontâneas, com brinquedos – de preferência não eletrônicos – ou materiais como papéis, tintas, areia ou água estimulam a imaginação e as fazem criar atividades, cenários e histórias.

Isso é fundamental para crianças. Graças à capacidade de criar e imaginar nos tornamos adultos mais preparados para resolver os problemas que com certeza aparecerão pela nossa frente.

Dê vida à imaginação! Sempre!

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.