/

Conjuntivite: o que é, como pega e quais os principais sintomas

A conjuntivite pode atrapalhar a vida de muitas famílias. Não só pelo desconforto que causa, mas também pelo alto risco de contagiosidade, que faz com que as crianças acometidas não possam ir para a escola. Como saber se meu filho tem conjuntivite? É perigosa? Quais os sintomas principais? Esclareça suas dúvidas.

O que causa e como evitar conjuntivite?

A conjuntiva é uma membrana que reveste a parte branca de nossos olhos. Essa membrana pode se inflamar por várias causas: alergia, vírus, bactérias ou corpos estranhos. A conjuntivite é exatamente isso: a inflamação da membrana que envolve a parte branca dos olhos. Os olhos ficam vermelhos, inchados e temos a sensação de que eles estão cheios de “areia”. Pode coçar, soltar uma secreção amarelada e também causar dor. Fica difícil olhar para luz, pois incomoda demais. Por isso muitas pessoas com conjuntivite se sentem mais confortáveis de óculos escuros.

Por que os olhos ficam vermelhos?

A conjuntiva é uma membrana muito delicada e fina que recobre as pálpebras e a parte “branca” dos olhos. Pode se inflamar por várias razões, sendo as infecções e a alergia as mais comuns. Em um caso ou em outro, o organismo quer nos defender do alérgeno ou do microrganismo invasor. Resultado: os vasos sanguíneos locais ficam dilatados, produzindo a conhecida “vermelhidão” e dando muito desconforto.

Esta inflamação é genericamente chamada de “conjuntivite”. Parece que tem “areia” nos olhos. Por isso o corpo faz com que as pessoas “pisquem” mais e produzam mais lágrimas para lubrificar e hidratar a região inflamada, na tentativa de diminuir e aliviar o mal-estar.

Como saber se a conjuntivite – ou vermelhidão nos olhos – tem causa alérgica ou infecciosa? Vamos entender as principais características de cada uma.

O que é a conjuntivite infecciosa? Quais as principais causas?

A conjuntivite infecciosa pode ser causada por vírus ou bactérias e é altamente contagiosa. Como “pegamos”? Principalmente pelas mãos.  É a forma mais comum de contágio. Basta alguém colocar a mão no olho contaminado e nos cumprimentar. Se colocarmos a mão nos olhos, grande chance de nos contaminarmos. Ou basta alguém colocar a mão contaminada em objetos como uma maçaneta ou o  suporte dos ônibus, por exemplo. Se nós colocarmos a mão lá depois e na sequência levarmos a mão ao olho: pronto! Podemos também contrair conjuntivite infecciosa.

Dá para saber se a conjuntivite é causada por vírus ou por bactérias?

Sim, existem algumas diferenças.

Na conjuntivite bacteriana, há muita produção de secreção purulenta. Os olhos chegam a ficar grudados pela manhã. A secreção é em geral amarelada e em grande quantidade. A sensação de areia nos olhos é intensa.

A conjuntivite viral não tem tanta secreção amarelada. Em compensação, o inchaço é muito grande. As pálpebras ficam extremamente inchadas e é difícil abrir os olhos. Além disso, algumas conjuntivites virais produzem uma espécie de “película” ou “membrana” esbranquiçada que descola dos olhos. A conjuntivite viral dá uma intensa fotofobia, isto é, intolerância à luz. Por isso é comum as pessoas necessitarem de óculos escuros.

Ambas deixam a parte  branca dos olhos (conjuntiva) bem vermelha. Ambas coçam e dão inchaço nos olhos.

Estas são algumas das principais diferenças, mas em muitos casos só o médico oftalmologista é que consegue avaliar com precisão.

Importante: muitas doenças virais podem, em suas fases iniciais, produzir inflamação – ou conjuntivite- nos olhos. O sarampo é uma delas. Portanto, se juntamente com a conjuntivite houver febre, mal-estar, dores pelo corpo ou dor de cabeça, procure uma avaliação médica.

Sinais de alerta da conjuntivite viral: edema (inchaço) importante, pouca secreção que em geral é branca, pouca coceira e muita vermelhidão. Especial atenção a sintomas gerais associados como febre, dor de cabeça ou dores pelo corpo.

Importante: colírios com antibióticos são eficazes para as conjuntivites bacterianas. Não adiantam em conjuntivites virais.

O que é a conjuntivite alérgica?

Quando entra algum alérgeno como pó, poeira ou qualquer irritante nos olhos, nossa defesa é produzir lágrima para expulsar o que não deveria estar lá. Na sequência produzimos inflamação nos olhos. Essa inflamação coça e irrita mais ainda a conjuntiva, levando à conjuntivite alérgica. A conjuntivite alérgica se caracteriza, portanto, pela intensa coceira e vermelhidão com pouca secreção e dificilmente os olhos amanhecem “grudados” e lotados daquela secreção amarelada. Não é contagiosa.

No entanto, é muito comum acontecer a contaminação infecciosa secundária. Isso significa que de tanto coçar com as mãos – nem sempre limpas- podemos levar a contaminação por vírus ou bactérias. A conjuntiva já está toda inflamada por conta da alergia e a barreira de defesa fica muito mais frágil. Resultado: além da alergia temos também a infecção.

A conjuntivite pode ser causada por produtos tóxicos?

SIM. Produtos tóxicos também podem levar à conjuntivite. É o que acontece quando o cloro da piscina entra em contato com os olhos, por exemplo. EVITE coçar para não contaminar e piorar a situação.

Como fazer para coçar os olhos? Muitas vezes é difícil “segurar” as mãos!

EVITE sempre coçar os olhos com as mãos. Na verdade, EVITE colocar as mãos nos olhos em quaisquer circunstâncias. Para aliviar a coceira, lave com soro fisiológico. Pode ser bem frio. Ajuda bastante e diminui substancialmente o risco de infecção.

Há mais conjuntivite no inverno?

SIM. Durante o inverno e com o tempo seco, a conjuntivite pode ocorrer mais facilmente. Isto porque a conjuntiva resseca e as nossas defesas locais diminuem.

O pó do ar também aumenta no inverno. Resultado: Eem contato com o pó ou outros alérgenos, sentimos muita coceira. E quando coçamos estamos levando agentes infecciosos que podem nos infectar. Pronto: estamos com conjuntivite.

Como evitar conjuntivite?

Dicas simples que funcionam bastante:

  1.  Mantenha seus olhos hidratados. Em dias muito secos use soro fisiológico para “lavar” os olhos.
  2. Lave sempre as mãos. Elas são o principal meio de contágio.
  3. Evite coçar os olhos. Se estiver coçando muito, faça uma compressa com soro fisiológico gelado.

Se você estiver com conjuntivite, além das recomendações acima lembre-se também:

– Evite contato com outras pessoas, principalmente com crianças;

– Troque sua fronha todos os dias, até você melhorar.

Quanto tempo dura a conjuntivite?

Em média pode durar de 5 a 7 dias para melhorar.

Quando posso mandar meu filho de volta para a escola?

Só depois que ele estiver totalmente curado, isso é, sem vermelho nos olhos e sem secreção.

Nossos olhos merecem todo cuidado, cautela, carinho e atenção. O mundo nos chega, principalmente, pelos olhos. Graças ao que enxergamos norteamos nossa vida e também nossas emoções. Quem não se emociona ao ver uma criança dar seus primeiros passos, um ato de respeito e amor ao próximo ou um por do sol, por exemplo?

Enxergar bem é um presente que temos que valorizar todos os dias. Por isso, cada vez que nossos olhos aparecem com qualquer problema, a preocupação é grande. Isso aí! Com olho não se brinca. Cuide-se.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.