/

Como fazer o bebê dormir no berço?

É muito comum a seguinte cena: os bebês estão dormindo placidamente no colo ou no carrinho. De repente, ao serem colocados no berço, acordam e caem num choro sem fim. Só voltam a dormir de novo quando retornam ao colo aconchegante. O que será que tem no berço? Muitos pais se perguntam. Afinal, foi escolhido com todo carinho e também é aconchegante.

Mas muitos bebês parecem discordar disso! Não conseguem dormir no berço, muito menos sozinhos. Como lidar com essa situação?

Primeiramente, vamos combinar que sair do ambiente uterino, ultra aconchegante, sempre quentinho, confortável, envolto por uma bolsa cheia de água que impede qualquer tipo de  atrito, sem a sensação de fome, dor ou frio…não é nada fácil, não é mesmo?

Depois do nascimento, a vida oferece todas estas sensações que compõem o nosso mundo. Os bebês tem que se adaptar a tudo. E o fazem, como todos nós o fizemos. Só que pode levar algum tempo.

O colo, portanto, é o local onde mais conforto eles sentem. Estão errados? Claro que não. Ficar no colo é gostoso mesmo.

Mas viver impõe certas regras. Dormir no berço, sozinho, é uma delas. Pode ser meio “duro” no início, mas há que se aprender.

Portanto, a dica para papais e mamães é a seguinte: tenham calma e tranquilidade. Aconcheguem seu filho e é possível fazer isso no berço. Transformem o berço em um local onde os bebês sintam conforto. Isso não significa, de forma alguma, encher o berço de bichinhos de pelúcia e/ou enfeites. Nada disso. Ao contrário, esses objetos dentro do bercinho podem oferecer risco ao seu filho.

Coloquem o bebê no berço acordado e fiquem ao seu lado, conversando com uma voz calma e tranquila, ou cantando, tocando-o com carinhos, para que ele fique relaxado e entenda este como um local e momento de paz. Mantenha um ambiente o mais silencioso possível, com uma luz fraca – é importante que o bebê veja vocês- e com a temperatura agradável: nem muito quente, nem muito frio. Aos poucos ele vai entendendo o berço como um “ninho seguro” e passará a relaxar e dormir.

Pode ser que os primeiros dias sejam tumultuados, mas não desistam: a persistência é importante quando se deseja   atingir um bom objetivo.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.