/

Cascas e talos de alimentos tem valor nutritivo? Por que os jogamos fora?

Você sabia que a casca da laranja tem 40 vezes MAIS cálcio do que a polpa? E que as cascas da tangerina e da maçã contem o DOBRO de vitamina C? A casca do abacaxi não fica para trás: tem 38% A MAIS de vitamina C! Sem falar dos talos de agrião, beterraba, salsa e brócolis, por exemplo, que são riquíssimos em fibras, importantíssimas para o funcionamento intestinal.

Não dá para desperdiçar todos esses nutrientes, não é mesmo? Definitivamente o lixo não é o lugar para esta rica fonte de alimentos que fazem tão bem à saúde como as casacas e talos de alimentos. Para quem acha que o gosto não é bom, aqui vão três dicas de preparo extremamente saborosas.

1. Comece bem!

isto significa escolher bem as frutas, as verduras e os legumes. Isso mesmo! Na hora de comprar, dê preferência para o que está mais fresco e conservado. Não compre em excesso. Faça a conta certa para não sobrar. Antes de consumir, higienize os alimentos corretamente. Lave bastante com água corrente e não se esqueça de utilizar produtos à base de hipoclorito de sódio para deixar os alimentos livres de germes e bactérias.

2. Use a criatividade

Cascas da batata, mandioquinha ou cenoura podem ser assadas e servidas como aperitivo. Com as cascas da laranja, tangerina ou do maracujá dá para fazer geleia, por exemplo! As cascas do abacaxi e do limão podem ser utilizadas nos seus respectivos sucos ou em combinações. Experimente! Fica uma delícia!

3. Crie receitas

Talos de alimentos como agrião, brócolis, salsa, couve ou beterraba podem ser picados ou triturados e colocados na massa de bolos ou de panquecas, no omelete, na salada, ou no recheio de tortas, por exemplo. Em pedaços pequenos podem ser colocados em ensopados. Aumentam a quantidade de fibras e deixam esses pratos mais nutritivos.

Use a imaginação! Não desperdice nutrientes importantes.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar (CRM 48084 | RQE 88268) é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.