/

Água da torneira faz mal para a saúde?

80% do seu corpo é água. 80% do planeta também. Esta quantidade generosa dá uma boa noção do quanto a água é vital, essencial para nossa sobrevivência. Mas pode ser mortal também. Se estiver contaminada com microrganismos como bactérias ou vírus, pode provocar doenças graves como hepatite ou diarreias de difícil controle. Além disso, pode estar contaminada com metais como alumínio, mercúrio ou cobre, por exemplo, ou até alguns tipos de pesticidas.

Por isso a água deve ser tratada. Em muitas cidades do Brasil, a água que chega em casa passa por um rigoroso processo nas estações de tratamento. É daí que surge aquele gostinho de cloro que a água da torneira às vezes tem. O cloro é adicionado pois elimina os agentes que causam doenças. Além disso, a água tratada possui flúor, que é acrescentado com o intuito de diminuir as cáries dentárias da população. Este processo todo tem evoluído muito nos últimos tempos, garantindo uma qualidade muito boa da água que entra em nossas caixas. Só que aí é que vem o primeiro problema.

Você sabe como está a situação de limpeza da sua caixa de água? O seu condomínio, se você mora em apartamento, limpa regularmente a caixa a cada 6 meses? Você tem controle se quem faz a limpeza seguiu direitinho as orientações e os padrões rigorosos definidos para a higiene da caixa? E como estão os encanamentos que conduzem a água até a torneira? Estariam enferrujados? Sua casa é antiga? Quantas perguntas! Mas é importante parar e pensar porque não adianta nada a água chegar pura se no caminho ela for contaminada.

Por isso, para sua maior segurança, mesmo que a água seja tratada com excelente qualidade, é recomendável filtrar ou purificar a água antes de consumir. Especialmente se você tem crianças pequenas ou idosos em casa, que são mais suscetíveis às doenças transmitidas pela água.

Cuidar da sua casa é também uma forma de cuidar da saúde da sua família.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.