/

Por que a gravidez acima dos 40 anos é de alto risco?

Toda a gravidez que precisa de atenção especial é considerada como sendo de alto risco. Portanto, cabe a pergunta:

Porque acima dos 40 anos a gravida precisa de atenção especial?

A idade materna tem influência essencial em 2 momentos da gravidez: no início, por conta dos riscos ligados ao envelhecimento dos óvulos, e no final, com o aparecimento de diabetes, pressão alta ou pré-eclâmpsia.

Importante saber que a incidência de gravidez entre os 30 e os 40 anos dobrou nos últimos 30 anos. Isso mesmo: DOBROU.

Isso ocorreu devido ao melhor controle sobre a fertilidade, com o surgimento de anticoncepcionais de alta eficácia. Consequência deste fato: as mulheres puderam entrar mais fortemente no mercado de trabalho adiando, naturalmente a maternidade.

Sabiam que, até 10 anos atrás, os livros de Obstetrícia classificavam as gestantes acima de 35 anos como gestante idosa? Parece um absurdo, mas as gestações acima dessa idade eram raras!!!

Evoluímos. Ainda bem. Mas quais são os riscos envolvidos, afinal?

Acima dos 40 anos os óvulos existem em menor quantidade. Além disso estão mais “velhos”. Resultado:  a dificuldade para engravidar é maior. Há mais chance de abortamentos iniciais, problemas cromossômicos, malformações, gestação ectópica e até gravidez de gêmeos. Acima dessa idade também é muito mais comum encontrar mulheres apresentando pressão alta ou diabetes. Outras, que apresentariam estas patologias apenas após os 50 anos, podem desenvolvê-las antes, devido à sobrecarga que a gravidez impões ao organismo feminino. O risco de pré-eclâmpsia, parto prematuro e sangramento pós-parto também é discretamente maior.

Mas não se assustem! A gravidez depois dos 40 é uma tendência mundial e o mundo já está preparado para vocês, que merecem essa atenção especial!!! O mais importante é manter-se saudável para entrar na gestação bem.

Publicado por Dra Adriana Grandesso Pompeo de Camargo.
Doutora Adriana Grandesso Pompeo de Camargo (CRM 115.771-SP) é médica graduada pela Unicamp. Obteve Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia, em 2007, pela Unicamp.