Tipos de parto: normal e a cirurgia cesariana.
07/11/2018 15:48h

Vamos falar sobre os tipos de parto: normal e a cirurgia cesariana.

Ainda existem muitas dúvidas a respeito dos tipos de partos oferecidos para a gestantes. Entenda tudo sobre eles:

Estas são as situações em que há recomendação oficial para que o parto seja cesáreo:
1) Prolapso de cordão: quando o cordão umbilical se coloca na frente ( ou em baixo já que o bebê sai para baixo) da cabeça fetal, de modo a querer sair antes do bebê. Raro.
2) Placenta prévia centro total ou centro parcial: quando a placenta, depois de 28 semanas, permanece na frente (ou em baixo) da cabeça do bebê, de modo que no parto normal, sairia antes do que o próprio bebê.
3) Descolamento prematuro da placenta: placenta descola sozinha, fora do trabalho de parto.
4) Bebê que se mantém em posição transversa no dia do parto (deitado)
5) Bebê que se mantém em posição pélvica no dia do parto (sentado)
6) Mulher que realizou cirurgia uterina anterior para remoção de miomas.

Existem muitos mitos a respeito do parto. Os mais comuns são que pacientes com diabetes gestacional, pressão alta e bebê com cordão enrolado no pescoço precisam de cirurgia cesariana. Não é verdade. Até 30% dos bebês têm o cordão enrolado no pescoço e podem nascer de parto normal sem complicações.

Não se esqueça: o parto normal está associado às menores complicações maternas e fetais. Quando não é possível e a cesariana é necessária, é melhor que seja feita quando a futura mamãe entrou em trabalho de parto, o que significa que o bebê está avisando que chegou seu momento de nascer.

Quando isso não é possível e a cesariana precisa ser feita antes do trabalho de parto, é melhor que seja entre 39 e 41 semanas de gestação, época em que bebê já deve estar plenamente maduro. Se há um problema grave, pode ser necessário que o parto seja antes desse tempo. Mas só problemas graves justificam essa decisão!