/

Como podemos nos proteger, sob os aspectos físico e emocional, da Covid-19?

O novo Coronavírus mudou o estilo de vida das pessoas no mundo inteiro. A forma como vivíamos e nos relacionávamos com as pessoas até o final de 2019 foi radicalmente modificada em virtude da possibilidade de que o contato humano pode nos fazer adoecer gravemente. Vivemos com medo. Por isso é importante refletirmos sobre as formas de proteção com que podemos nos blindar, tanto do ponto de vista físico como psicoemocional, neste ano de 2020, que será pautado pela companhia contínua deste vírus que nos assombra.

Dicas de Proteção Física

Como o Coronavírus penetra no organismo das pessoas?

O vírus pode entrar no seu organismo por 3 locais: olhos, nariz e boca. Não passa pela pele e nem por relações sexuais. Por isso, com base neste fato, aqui vão as dicas de proteção:

– Use máscaras sempre que precisar sair

– Evite coçar os olhos com as mãos “não limpas ou desinfetadas”

O Coronavírus fica “parado” no ar?

Uma pessoa está contaminada com o vírus. Pode estar com algum sintoma de gripe ou assintomática, isto é, sem apresentar nenhum sintoma. Esta pessoa fala, tosse ou espirra perto de você. O que acontece? Milhares de partículas virais ficam “de carona” nas gotículas de secreção que “voam” pelo ar. As gotículas mais pesadas caem no chão. As mais leves podem ficar um tempo “pairando” no ar. Se alguém respira estas gotículas pode se contaminar. Portanto, são as seguintes dicas de proteção que aqui podemos ter:

– Entre no elevador da sua casa só quando efetivamente precisar sair. De preferência, entre sozinho. Evite o elevador com pessoas que não moram com você.

– O distanciamento social é fundamental para sua proteção: evite aglomerações como feiras, ruas movimentadas e cheias, mercados ou farmácias com muitas pessoas.

– No transporte público, sempre que possível mantenha pelo menos 1 metro de distância das outras pessoas. Os responsáveis pelo transporte estão se esforçando para conseguir evitar que muitas pessoas fiquem juntas no mesmo local.

Posso pegar o novo Coronavírus fazendo esportes ao ar livre?

Pode sim. As pessoas que insistem em correr ou andar de bicicleta ao ar livre devem tomar um cuidado especial. Isso por conta do fato de que se uma pessoa estiver de bicicleta ou correndo numa ciclo faixa ou na rua na sua frente tossir ou espirrar, você certamente passará pelo local – também correndo ou de bicicleta- respirando a “nuvem” de secreções e partículas expelidas por quem estava na sua dianteira. Se esta pessoa estiver contaminada – mesmo sem saber- pode transmitir o vírus para você. Como evitar? Veja as dicas de proteção:

– Se estiver correndo ao ar livre, você deve manter uma distância de 10 metros de quem vai na sua frente ou atrás de você.

– Se estiver andando de bicicleta, mantenha uma distância de pelo menos 20 metros do ciclista que vai na sua frente e atrás de você.

Em tempo: neste momento da pandemia, evite esportes ao ar livre. Você deve ser o bom exemplo de muitas pessoas.

Precisei sair e cheguei em casa. Como devo proceder?

A nossa casa deve ser um local blindado do mundo exterior. Deve ser o local onde temos a certeza da segurança para nos sentirmos fisicamente e psicologicamente protegidos. Por isso os cuidados ao chegar em casa devem ser seguidos à risca, para nos dar o conforto da tranquilidade. Vamos ver as dicas de proteção por etapas:

  1. Tire os sapatos. Se puder, deixe-os do lado de fora e utilize sempre os mesmos sapatos para sair. Se não puder os deixar do lado de fora, leve-os para dentro, coloque-os na área de serviço. Assim que possível, lave a sola com água e sabão, se for lavável, claro; ou então passe um pano com água sanitária.
  1. Lave as mãos. Higienize as compras e as sacolas em que vieram.
  2. Lave as mãos de novo.
  3. Tire as roupas, coloque-as para lavar, tome um banho e lave a cabeça.

Posso ler jornal pela manhã?

Para responder esta e outras perguntas semelhantes, como, por exemplo, “tenho que desinfetar maçanetas e interruptores de luz?” é importante sabermos quanto tempo o vírus pode permanecer “vivo” em algumas superfícies. Estas informações servem para pensarmos nas dicas de proteção que devemos ter quando manuseamos estes objetos. Vamos lá:

Superfície Tempo que o vírus fica “vivo”
Metais 3 dias
Plástico 3 dias
Papelão/ Papel 1 dia
Aerossóis/ Poeiras 15 minutos a 3 horas

Portanto, em relação especificamente ao jornal: evite manusear o jornal junto com a alimentação. Leia seu jornal e lave as mãos depois. Em relação às maçanetas, é importante desinfeta-las pelo menos uma vez ao dia ou quando houver suspeita de contaminação.

Pedi comida em casa. Como faço para receber?

Não há nenhum problema em pedir comida em casa. Quando a receber, siga as seguintes dicas de proteção:

  1. Dê preferência ao pagamento online. Quando a encomenda chegar, mantenha seu rosto a pelo menos 1 metro do rosto do entregador, para proteger vocês dois.
  2. Se você não pagou online: mantendo a distância ideal de pelo menos 1 metro do seu rosto com o do entregador (para proteger vocês dois) pague, de preferência, com cartão. Para digitar a senha utilize uma haste flexível, ou algo semelhante que se possa descartar depois.
  3. Pegue a embalagem, coloque-a em cima da pia e lave as mãos com água e sabão. Retire seus alimentos, de preferência sem encostar na comida e coloque tudo em um recipiente limpo. Pegue as embalagens usadas e jogue-as no lixo. Desinfete a pia com detergente ou água e sabão. Lave as mãos. Bom apetite.

Como posso fortalecer meu sistema imunológico?

Não há mágica. O sistema imunológico das pessoas não se torna “forte” de um momento para o outro. Tal como um músculo, que para se hipertrofiar necessita de exercícios diários, o sistema imunológico também deve ser cotidianamente “alimentado” por hábitos de vida saudáveis. Só assim conseguimos construir, dia após dia, um sistema de defesa potente e eficaz contra os patógenos a que estamos expostos todos os dias.

A fórmula para “construir” um sistema imunológico potente é estruturada em três pilares essenciais: alimentação saudável, exercícios físicos e boas horas de sono. Parece bastante óbvio, mas muitas pessoas não conseguem incluir, no seu dia a dia, estes 3 pilares de forma constante e regular. Vamos a algumas dicas.

  1. Alimentação saudável

Faça um recordatório do que você ingeriu na última semana. Analise criticamente e veja o que está bom e o que precisa mudar. Há alguns alimentos que não podem faltar como, por exemplo, fontes de proteínas, frutas, verduras ou legumes. Estes alimentos fornecem nutrientes absolutamente essenciais para fortalecer seu sistema imunológico, dentre os quais se destacam as vitaminas A,B,C,D e E; além de minerais como ferro, cálcio ou zinco, para citar alguns.

A vitamina D merece um destaque especial pois sua maior fonte (90%) provém do Sol incidindo na pele. O melhor horário para se toar de 10 a 15 minutos diários de Sol seria entre meio dia e quatro horas da tarde.

No entanto, neste momento da pandemia pelo novo Coronavírus, muitas pessoas, de todas as idades, estão confinadas em casas onde o Sol é escasso e não suficiente para suprir o que necessitamos.

Não obstante, nem todas as pessoas, na sua rotina normal, conseguem tomar Sol na quantidade suficiente para produzir vitamina D. Para lembrar, apenas 10% da nossa Vitamina D provém da alimentação, em geral de peixes como salmão selvagem, não criado em cativeiro, atum ou sardinha.

Crianças em fase de crescimento necessitam de concentrações adequadas de Vitamina D para que seus ossos incorporem o cálcio da alimentação e se desenvolvam saudavelmente. Além disto, a Vitamina D tem um importante papel em vários mecanismos orgânicos e principalmente na defesa imunológica, ajudando nosso organismo na cascata de processos que estruturam nossa defesa quando somos agredidos por agentes patogênicos como este novo Coronavírus, por exemplo.

Por tudo isso, a Vitamina D é a única vitamina formalmente indicada para crianças pela Sociedade Brasileira de Pediatria, na dose de 400 UI para bebês com menos de 1 ano e 600 UI para crianças com mais de 1 ano de idade.

  1. Exercícios Físicos

Não é fácil se exercitar dentro de casa. Mas não é impossível. Cada um pode fazer adequações individuais, definir o quanto quer se movimentar, com qual intensidade, duração e usar a imaginação para se mexer ativamente.

Reserve um momento do dia para sua atividade física. Se você não a colocar na agenda doméstica, tenha certeza de que seu exercício vai ficar para o final do dia e aí não vai mais dar tempo. Por isso é importante que você se organize para isso.

Muitas pessoas que gostam de gastar energia estão pulando corda na sala. Outras improvisam pesos com frascos pesados de produtos de limpeza. Coloque uma música para ajudar e se mexa. Faz bem não só para seu corpo: para sua cabeça também.

  1. Sono

Dormir bem nos deixa mais lúcidos, bem-humorados e com mais disposição e tranquilidade para encarar os dias e seus imprevistos. Com boas horas de sono todo o organismo se fortalece; principalmente o sistema imunológico.

Crianças e adolescentes devem dormir de 8 a 9 horas por dia e os adultos em média de 7 a 8 horas. Claro que há variações individuais para mais ou para menos.

Importante saber, porém, que o sono da noite, com um ambiente escuro, em silencio e com uma temperatura mais amena é fundamental para garantir mais relaxamento. Dormir de dia, com calor, luz e barulho com certeza não compensa uma noite mal dormida.

Proteção Emocional

A vida das pessoas mudou radicalmente. De um momento para o outro, passamos a conviver em casa com as outras pessoas que estávamos acostumados a ver pela manhã, eventualmente na hora do almoço e à noite. Ficamos juntos 24 horas. Trabalhamos em casa, não vamos mais encontrar amigos para um almoço, jantar ou happy hour. Não podemos mais ir à academia, arrumar o cabelo, fazer as unhas, passear no shopping, planejar uma viagem e nem abraçar nossos pais ou idosos que nos são queridos.

Quando saímos, ficamos com medo. As máscaras não nos deixam respirar direito e nem enxergar o sorriso que algumas pessoas podem nos dirigir. Quando chegamos em casa, devemos tomar providências severas e seguir um roteiro rígido e protocolado de cuidados para não contaminar as pessoas queridas.

Redes sociais e canais de notícias nos mostram exaustivamente a quantidade diária de óbitos, a dificuldade das pessoas para enterrar seus queridos e o esforço dos profissionais de saúde para salvar vidas.

Não vivemos tempos fáceis. Este início de 2020 certamente ficará para história humana como um período que, não obstante o avanço tecnológico e científico, fomos obrigados a ficar em casa. Na outra vertente, o planeta foi menos agredido pelo nosso “progresso” e por estes dias está tendo a chance de respirar mais livremente.

Dá para imaginar que neste cenário manter o equilíbrio emocional não está nada fácil. Crianças estão mais ansiosas, adultos perderam o controle que tinham de suas vidas e os idosos estão solitários, em casa, com medo.

Como se proteger emocionalmente deste vírus?

Não há uma fórmula mágica, naturalmente. Mas para cada faixa de idade há algo que pode ser feito para garantir um mínimo de proteção emocional. Vamos entender.

Crianças

Crianças precisam de segurança para se sentirem tranquilas. Esta segurança pode ser conseguida com uma rotina de atividades diárias bem definida e combinada. Assim, ajuda nas tarefas da casa, atividades escolares, exercícios físicos em casa e tempo de lazer podem ser divididos ao longo do dia. Reservem sempre um tempo para conversar com as crianças e vejam quais questionamentos elas podem ter. Conversem com clareza. É sempre a melhor conduta.

Adultos

O dia deve ser preenchido com uma rotina de atividades que não podem ser deixadas de lado como, por exemplo, preparar a alimentação, arrumar a casa, cuidar das crianças e do trabalho. Dividam o tempo com inteligência para não se estressarem com a frustração de não terem conseguido cumprir as tarefas agendadas. Mais importante: reservem um tempo do dia só para cada um de vocês. Meia hora, que seja. Nesta meia hora, sem interrupções, dediquem-se a algo que lhes traga prazer e tranquilidade. Pode ser a descoberta de uma habilidade nova como tocar um instrumento, pode ser uma atividade física extra, pode ser assistir um filme, conversar com amigos pelo celular ou navegar livremente pelas redes sociais. Isso é muito importante, pois só nos sentimos bem para os outros se estamos bem conosco mesmo. Essa talvez seja a melhor dica de proteção para os adultos: faça algo que te deixe bem com você mesmo, todos os dias, mesmo que seja por um curto período de tempo. Pelo menos é o seu tempo.

Idosos

Muitos idosos moram sozinhos e são independentes. Fazem suas compras, preparam seus alimentos e cuidam da própria casa. No entanto, neste momento de isolamento ficam forçosamente privados da companhia de filhos e netos. Este sentimento de “solidão” é o que mais os abala emocionalmente.

Por isso, sentem-se psicologicamente protegidos quando sabem que, se precisarem, alguém os irá ajudar. Desta forma, para manter a saúde emocional dos nossos idosos queridos, é importante conversarmos com eles por vídeo, mandar filmes, verificar quais são suas necessidades de alimentos ou de remédios e dar-lhes a certeza de que estamos por perto.

Outra dica de proteção para todos é buscar nos amigos um apoio para que os dias sejam mais leves e tranquilos. Liguem para seus amigos queridos. Conversem, troquem ideias, angústias, conquistas, tristezas, alegrias e dúvidas.

A melhor dica de proteção contra o Coronavírus pode ser esta: recupere suas amizades mais valiosas e divida com elas sua vida e suas emoções.

 

Conteúdo produzido em parceria com a Mantecorp.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.