17/03/2019 16:43h

WhatsApp faz bem ou mal para a saúde?

Aposto que você  já presenciou a seguinte situação: duas pessoas, sentadas à mesa de um restaurante, ambas com um celular na mão, conversando animadamente com outra pessoa em outro lugar. Uma mal olha ou conversa com quem está sentado na própria frente. De vez em quando param de digitar e trocam algumas palavras.

Quantas boas conversas presenciais perdidas! Conversas sinceras, olho-no-olho, onde a expressão facial nos faz entender melhor os sentimentos alheios, com muito maior sinceridade e veracidade do que todos os tipos de carinhas amarelas ou de coraçõezinhos vermelhos pulsando… vazios de emoção

Importante saber que como um medicamento que pode fazer bem ou mal, o uso da comunicação digital também depende da dose com que é utilizada. Pode nos dar felicidade, alegrias, curar alguns males ou, ao contrário e no sentido oposto, causar uma intoxicação.

O mais recomendado é o uso equilibrado, sem jamais perder a noção do bom senso e – principalmente- da boa educação.

Quando o uso do Whats ou das redes sociais é exagerado, pode levar a um estado de tensão contínua – muitas vezes imperceptível, posto que cotidiano – que pode, sim, causar danos à saúde física e mental.

Este volume exagerado e ininterrupto de mensagens leva a uma liberação contínua de adrenalina que tem como consequência um estado de estresse que pode, por sua vez, potencializar males que, por esta e outras razões, aumentam sua incidência nos dias de hoje como hipertensão, enxaqueca, cefaleias tensionais, ansiedade, insônia e depressão.

Por mais inócuas que as conversas banais possam parecer, tiram um tempo em que antes se passava com uma “contemplação do nada”. O que seria isso? Pode parecer estranho, mas para a saúde – física e mental – é essencial alguns períodos de “desligamento” do mundo para que as energias se renovem.

Para preservar nossa saúde mental, os pensamentos e sentimentos dos momentos recentemente vividos precisam de um tempo para se organizar em nossa mente. As emoções precisam decantar um pouco, de tempos em tempos, ao longo do dia. Necessitamos de alguns momentos de pausa para elaborar melhor o que nos cerca. Cotidianamente. Este é o significado do “olhar para o nada”, de quando em vez ao longo do dia.

Para sua saúde física e mental, portanto, períodos de “desconexão” ao longo do dia são essenciais. Pratique-os.

Dra Ana Escobar

Dra Ana Escobar

Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria. Atualmente, é coordenadora da Disciplina de Pediatria Preventiva e Social desse mesmo departamento. Ainda na área educacional, é responsável pelas disciplinas de graduação e pós graduação sensu lato e sensu stricto da Faculdade de Medicina da USP.
Dra Ana Escobar