14/04/2019 10:13h

O que fazer para crianças pararem de chupar o dedo?

Quando as crianças começam a chupar o dedo? Dentro do útero materno. Isso mesmo! E isto é muito importante para que o bebê vá estimulando os músculos da sucção. Assim já vai aprendendo dentro do útero, a mamar! Por isso, a sucção é um ato instintivo que prepara o feto para a vida.

Quando nascem, os bebês estão preparados para mamar. A partir daí a fase oral é muito importante. Reparem como eles reconhecem o mundo levando tudo à boca.

Depois, com o crescimento, passam a “sentir” o mundo pelo tato, pelas mãos.

Você consegue ir a uma loja e comprar uma roupa sem tocar nela? Precisamos usar os dedos para avaliar e “perceber” o tecido: a textura, a suavidade, a maciez, a resistência… não é mesmo? Pois é. As crianças pequenas “percebem” o mundo com a boca.

Sugar ainda tem também a função de acalmar, aconchegar e dar segurança. Por isso, com muita facilidade, os dedinhos vão parar na boca. Ainda mais com o estímulo da gengiva que nesta época começa a coçar, anunciando a chegada dos dentes de leite. Por tudo isso, é considerado normal levar os dedos à boca até mais ou menos 1 ano e meio.

O problema começa quando em vez de vários dedos, a criança começa a colocar apenas um deles, geralmente o polegar, e suga este dedo como se fosse uma chupeta. Aí complica pois esse hábito pode durar muito tempo… Anos inclusive! Isto gera problemas de convívio social, de ordem emocional e até questões físicas, como infecções, por exemplo; além de problemas estéticos porque os dedos e mesmo a boca podem ficar “deformados”.

Não é, portanto, um hábito saudável e o ideal é desmotivar as crianças que chupam os dedos. Mas como? Aqui vão algumas dicas:

– Crianças com menos de 1 ano e meio: colocar a mão inteira na boca pode ser normal. Afinal, a gengiva coça muito. Mas se a criança tende a chupar um único dedo, incentive a troca por uma chupeta. Ou dê um mordedor. Há vários tipos e modelos. Durante a noite, observe se ela tem a tendência de levar um dedo à boca. Se sim, coloque uma luvinha na mão da criança e tente sempre a substituição do dedo pela chupeta. Lembre-se que, mais para a frente, a chupeta pode ser oferecida ao Papai Noel, por exemplo, mas o dedo, não!

Crianças maiores: converse e seja firme. Sem brigar. Sem ameaçar, nem se irritar. Apenas seja firme e diga que o dedo não pode nem deve ser chupado em todos os momentos. Estabeleça horários específicos. Antes de dormir, por exemplo. Mantenha sua palavra com firmeza. Demonstre que está feliz quando a criança consegue cumprir a meta. Elogie-a por isso. Observe se há algum problema emocional que esteja motivando a criança a chupar o dedo, até para chamar sua atenção.

Converse com seu pediatra, com um odontologista infantil e com um fonoaudiólogo. Estes são os especialistas que podem ajudar a identificar as situações que merecem atenção e orientação. A melhor atitude sempre é tomada quando conseguimos entender bem o problema que nos preocupa.

Dra Ana Escobar

Dra Ana Escobar

Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria. Atualmente, é coordenadora da Disciplina de Pediatria Preventiva e Social desse mesmo departamento. Ainda na área educacional, é responsável pelas disciplinas de graduação e pós graduação sensu lato e sensu stricto da Faculdade de Medicina da USP.
Dra Ana Escobar

Últimos posts por Dra Ana Escobar (exibir todos)