/

O que é e para que serve o Teste do Pezinho?

Você tem dúvidas sobre como é realizado o Teste do Pezinho? E qual a sua importância? A Dra. Ana Escobar tira todas as suas dúvidas. Confira abaixo:

Nos dias de hoje o pré-natal é importantíssimo. Não só porque os exames de imagem nos permitem “enxergar” o rostinho do bebê, mas principalmente porque podem evidenciar algumas alterações no bebê ou na mãe.

Estas alterações quando detectadas a tempo, podem evitar futuras sequelas. Mas alguns tipos de doenças só são diagnosticadas quando o bebê nasce, depois que examinamos o próprio sangue do recém-nascido. Por isso é feito o teste do pezinho.

O que é o Teste do Pezinho?

Algumas gotinhas de sangue tiradas do pé do bebê podem indicar a presença de algumas doenças. E diagnosticar antes que apareçam os sintomas, evita que a doença evolua. Também aumentam as chances de um tratamento mais eficaz.

E por que o pé? Bem, o pé do bebê é uma região cheia de vasos sanguíneos. Já notou como os pezinhos dos recém nascidos são muito mais vermelhinhos que os das crianças maiores e dos adultos? Pois então. Uma picadinha com uma agulha fina provoca rapidamente a saída de sangue suficiente para análise.

Os bebês choram, mas pais e mães devem imaginar que é um chorinho que passa e que esta é uma oportunidade única que pode mudar o futuro do bebê. O exame geralmente é colhido na própria maternidade, depois de 48 horas de vida.

Doenças Identificadas pelo Teste do Pezinho

Há várias doenças que podem ser identificadas com o teste do pezinho. Duas importantes são: o hipotireoidismo congênito e a fenilcetonúria.

O hipotireoidismo congênito ocorre pela deficiência na produção hormônios da tireoide, que são fundamentais para o desenvolvimento geral e principalmente do sistema nervoso. O diagnóstico e tratamento rápido evita, por exemplo, o atraso mental.

A fenilcetonúria é uma doença genética. Falta uma enzima que ajuda a digerir a carne, os ovos e o leite, por exemplo. O problema é que nesta doença, a “má digestão” destes alimentos pode fazer acumular uma substância que lesa gravemente o sistema neurológico. Por isso, quanto antes o diagnóstico e a orientação terapêutica, menor a lesão e menos sequelas.

Uma picadinha no pezinho, um chorinho que passa e um diagnóstico que pode determinar uma vida. Vale a pena, não é mesmo?

Quando deve ser feito o Teste do Pezinho?

O Teste do Pezinho é uma forma rápida e segura de identificar precocemente doenças que podem cursar com a Deficiência Intelectual. O ideal é que seja feito do 3º ao 5º dia de vida do bebê. Quanto antes for feito o diagnóstico, melhor. O tratamento precoce pode evitar alguns tipos de Deficiência Intelectual e melhorar a qualidade de vida da criança e da família.

O Teste do Pezinho é gratuito? Identifica quantas doenças?

O Laboratório da APAE DE SÃO PAULO é o maior da América Latina em número de crianças triadas. Já examinou mais de 15 milhões de crianças brasileiras! Este Laboratório realiza o Teste Básico, que é totalme
nte gratuito e identifica 6 doenças. Também conta com tecnologia para exames ampliados, que podem identificar até 50 doenças. Estes, no entanto, não são gratuitos.

E se o Teste do Pezinho vier alterado?

Caso a criança tenha alguma alteração no Teste do Pezinho, é encaminhada ao Ambulatório de Atenção aos Pacientes, que monitora e trata algumas doenças. Quando necessário, a criança é encaminhada para centros de referência mais adequados.

Alguns tipos de Deficiência Intelectual podem ser prevenidos por um tipo específico de alimentação?

Sim. Por isso a APAE, na luta pela melhora da qualidade de vida de pacientes com doenças metabólicas, tem em sua unidade central a Divina Dieta, onde são fabricados alimentos como bolos, pães e sorvetes, entre outros, com baixo teor de proteínas, que garantem a dieta necessária para prevenção da Deficiência Intelectual.

Pessoas com intolerância à lactose, alergia à proteína do leite, doença celíaca e vegetarianos também se beneficiam destes produtos, uma vez que suas composições alimentares são isentas de glúten, leite, carnes, ovos e derivados.

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.