Tenho medo da dor do parto - Dra. Ana Escobar
25/11/2018 11:26h

Tenho medo da dor do parto, Como se faz a anestesia para o parto?

Quando se entra naturalmente em trabalho de parto, a dor não costuma começar de repente. Começa devagar e vai aumentando aos poucos. Portanto, há tempo para o seu organismo se adaptar e produzir endorfinas, que são substâncias que tornam as dores bem mais suportáveis. A natureza tenta te ajudar.

Se você não quiser sentir a dor do parto, pode tomar uma anestesia que é específica para o parto normal: o duplo-bloqueio. Essa técnica consiste em fazer, na mesma punção, dois tipos de anestesia: uma raquidiana e uma peridural. Isso impede todas as sensações que vem da parte de baixo do corpo, eliminando completamente as dores em 5 a 10 minutos. Para algumas pessoas, não sentir a parte de baixo do corpo pode ser um pouco estranho. Mas, por outro lado, não sentir nenhuma dor é um alívio. Importante saber que não há perda de consciência.

As contrações continuam, abrindo o caminho para o bebê passar, mesmo sem você sentir dor.

Como funciona? A equipe solicitará que você se sente na cama com as pernas cruzadas e curve a coluna para frente, enquanto o anestesista realiza o procedimento. Um fino tubo de plástico – o cateter peridural – ficará preso às suas costas para que mais anestesia possa ser feita a qualquer hora. Você também terá a veia da mão ou braço puncionada para a infusão de soro, de modo que fluidos e medicamentos possam ser administrados quando necessário, já que a queda da pressão pode ser um efeito colateral da anestesia.

É provável que o coração do bebê precise ser monitorado com mais frequência, ou continuamente. Todo cuidado é importante.

O objetivo do duplo bloqueio é aliviar a dor do trabalho de parto e permitir que você ajude a empurrar o bebê durante a fase expulsiva, mesmo estando com as pernas adormecidas ou pesadas. Este adormecimento pode durar até algumas horas depois do parto.

Dependendo da fase do parto em que você estiver, os médicos podem ainda te oferecer a opção de se submeter apenas a uma anestesia do tipo raquidiana ou a uma peridural. Na prática, tudo se passa de maneira muito semelhante.

E para a cesárea? Qual é a anestesia?

Na cesárea é absolutamente necessário o bloqueio completo da dor. Para isso a maioria das mulheres é submetida a uma anestesia raquidiana ou peridural em dose bem maior do que a utilizada no parto normal. Isso significa que você não vai sentir seu corpo dos seios para baixo durante as próximas 3 a 4 horas. Mas tenha certeza de que você permanecerá absolutamente acordada e consciente de tudo. Menos da dor. Isso é importante para ouvir o primeiro chorinho do seu filho.

Para quem não estiver sentindo muita dor com o parto já avançado e/ou não quiser tomar anestesia, pode lançar mão de algum método não-medicamentoso. Os métodos não-medicamentosos ajudam a lidar com a dor e a não ser dominada por ela, embora não a eliminem por completo.

São eles: respiração e relaxamento, água morna em chuveiro ou banheira, acupuntura e a presença de uma doula. A ideia é quebrar o ciclo vicioso de DOR – TENSÃO – MAIS DOR – MAIS TENSÃO. São métodos que te mantém consciente de tudo o que se passa. Há muita liberação de endorfina e adrenalina. Para quem não quer o uso de drogas, são métodos que não têm contraindicação.

Com apoio e encorajamento dos acompanhantes de parto, a maioria das mulheres pode parir sem qualquer intervenção médica. Em alguns casos, porém, estes métodos podem não funcionar. Por exemplo, se o seu trabalho de parto for muito demorado ou se a posição do bebê não for ideal ou… se simplesmente for doloroso demais para você.

Cada um sabe de si. Sua opção é só sua. Respeite o que você, de fato, deseja. Afinal, quem vai sentir a dor (ou não) é você.