23/08/2018 11:03h

TDAH – Transtornos de Atenção e Hiperatividade

Hoje vamos falar de um assunto que tem preocupado muitas pessoas. É o TDAH , que é a sigla de “Transtornos de Atenção e Hiperatividade”. Muitos pais perguntam se o filho que não vai bem na escola, não consegue se concentrar e tirar boas notas e é extremamente agitado é “hiperativo” e deve receber tratamento para isso.

Vamos então começar dizendo que este é um diagnóstico difícil e complexo , totalmente embasado na avaliação clínica da criança, pois não existe nenhum exame laboratorial que “comprove” TDAH. Por isso, necessariamente o diagnóstico preciso e correto deve ser feito pela avaliação conjunta de profissionais especializados que atuam nesta área, como psicólogos, pedagogos, neurologistas ou psiquiatras, sempre em interação com a família e com os professores da escola.

A suspeita de TDAH ocorre quando crianças apresentam alguns dos seguintes sintomas: não conseguem prestar atenção na aula ou em detalhes de uma história, por exemplo; prestam pouca atenção até nas brincadeiras e atividades que as distraiam; parece que não escutam o que dizemos para elas; não gostam de fazer lição de casa e quando fazem, geralmente não terminam; não se concentram direito em filmes nem em jogos como videogames, esquecem coisas com facilidade, perdem com frequência seus objetos pessoais…enfim…estes são alguns dos sintomas que podem levantar a possibilidade de TDAH.

Mas lembro que o diagnóstico deve ser feito pelos profissionais da área. Nunca devemos banalizar nem “rotular” uma criança de hiperativa sem a avaliação séria e correta.

Outro aspecto muito importante é entender que a criança portadora de TDAH tem uma situação especial que deve ser corretamente tratada. Isso é fundamental, pois muitas vezes estas crianças são socialmente difíceis de se adaptarem, o que torna o convívio com outras crianças complicado.

Se juntarmos a isto o fato de que geralmente estas crianças não vão bem na escola, que não tiram boas notas, podemos imaginar que a autoestima da criança portadora de TDAH diminui consideravelmente, o que pode acarretar uma série de outros problemas de adaptação.

Por isto tudo, não tenho dúvidas de que o mais importante que podemos fazer – se houver suspeita de que uma criança tenha TDAH- é procurar ajuda e avaliação de um profissional que atua nesta área.

Lembro sempre que procurar o conhecimento é nosso maior aliado na vida. Procurem ajuda profissional. Entender o que ocorre com uma criança com TDAH é o primeiro passo que a família e a escola podem dar para definir estratégias e planejamento de ações que voltem a inserir positivamente esta criança em seu ambiente psicossocial e, principalmente, aumentar sua autoestima.

Conhecimento é muito importante ! Acredito fortemente nisto.