/

Soja tem hormônio feminino?

E se tiver, os homens podem consumir? E pode causar câncer?

Sucos, óleos, queijos, leites, farinhas, molhos e até leite para bebês… encontramos no supermercado uma extensa lista de produtos que tem a soja como alimento principal. Isso porque o grão da soja é um nutriente bastante completo, pois contem proteínas, gorduras, vitaminas e minerais importantes para o organismo.

Mas além disso a soja contem um componente que gera muita dúvida a respeito de sua segurança. Chama-se isoflavona. É um nome difícil, mas é fácil entender!

A isoflavona é uma substância muito, muito parecida com o estrógeno que é um hormônio feminino. A função do estrógeno é garantir o funcionamento perfeito do corpo feminino, especialmente na fase reprodutiva da mulher. Ele regula o ciclo menstrual e promove várias características do corpo da mulher como o crescimento dos seios.

Quando ingerimos algo com soja, estamos naturalmente obtendo a isoflavona. Como a isoflavona é muito parecida com o estrógeno, ela ocupa “a vaga” destinada ao estrógeno nas células. Isso mesmo. O organismo entende que a isoflavona é o estrógeno e deixa que ela ocupe seu lugar. Como se fosse um plugue! Por isso é que muitas pessoas tem “medo” de consumir soja, pois acreditam que é como se estivéssemos consumindo hormônio feminino. Os homens ficam apavorados de pensar que o consumo da soja pode fazer crescer seios e as mulheres ficam com medo de câncer.

Nesta hora de dúvidas, o melhor a fazer é consultar os estudos e pesquisas científicas. E sabem o que eles dizem? Que todos podem ficar tranquilos e consumir soja, sem problemas. Isso mesmo. Os efeitos da isoflavona no organismo masculino e feminino não são relevantes.
Inúmeras pesquisas revelam que também não há risco para câncer. Crianças (meninos e meninas) e até bebês podem consumir produtos de soja sem efeitos colaterais indesejáveis. Isso porque a isoflavona se comporta de maneira diferente do estrógeno dentro da “vaga” da célula.
O estrógeno consegue ativar certos locais dentro da célula que promovem as características femininas, diferente das isoflavonas, que não conseguem ativar estes mesmos locais. Portanto, a soja e seus derivados não produzem os efeitos do hormônio feminino.

A busca do conhecimento científico é sempre o melhor caminho para uma vida mais saudável e tranquila!

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.