14/04/2019 07:59h

O que é esquizofrenia?

Temos a tendência de entender as doenças do corpo de um jeito diferente da forma como entendemos as doenças da mente. Para as do corpo, imaginamos ter, na maior parte das vezes, uma causa física, palpável, bem definida, focada e definitiva. Atacar a causa física é a meta para conseguir a cura ou, pelo menos, atenuar os sintomas. Ou seja, atuar na causa para impactar no efeito é um caminho lógico, simples e direto.

Mas as doenças da mente são vistas, pela maioria das pessoas, com muita insegurança e temor. Possivelmente porque são mais complexas, os sintomas são mais diversificados e o desconhecimento e a incompreensão contribuem para o “preconceito” que, infelizmente ainda existe. Isso mesmo!

Nunca ninguém vai “culpar” uma pessoa por ser portadora de diabetes. Mas certamente muitos portadores de depressão ou de sintomas de pânico já foram tidos como pessoas “difíceis”, “fracas”. Não é raro ver pacientes que são responsabilizados por estarem na condição de doentes. Difícil para muitas pessoas entender como a cabeça pode adoecer em um corpo absolutamente sadio.

A esquizofrenia é um exemplo importante de um transtorno psíquico grave, que gera um sofrimento mental terrível para o seu portador. As pessoas acometidas tem, entre outros sintomas, alucinações visuais, auditivas, de olfato, de paladar ou de tato. Podem afirmar que ouvem vozes que falam ao seu ouvido. Ou sentem cheiros específicos. Ou enxergam pessoas escondidas. Também podem ter delírios ou alucinações.

Acreditam, por exemplo, que alguém os está perseguindo e pode fazer algum mal. E o grande sofrimento advém do fato de que REALMENTE acreditam em tudo isto. De nada adianta tentar trazê-los à realidade. As ideias delirantes passam a ser, dentro de sua forma de enxergar o mundo, a mais pura e iminente verdade. Claro que isso traz emoções conturbadas e atitudes impulsivas, ilógicas e inesperadas, que podem ser carregadas de muita agressividade. Não há uma causa definida e o tratamento é de suporte e atenuação do quadro. Inclusive para a família que sofre junto e precisa de apoio.

Somos corpo e mente juntos. Impossível dissociar. Saúde sempre!

Dra Ana Escobar

Dra Ana Escobar

Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria. Atualmente, é coordenadora da Disciplina de Pediatria Preventiva e Social desse mesmo departamento. Ainda na área educacional, é responsável pelas disciplinas de graduação e pós graduação sensu lato e sensu stricto da Faculdade de Medicina da USP.
Dra Ana Escobar