/

Nebulização ou Bombinha? Qual a diferença entre esses tratamentos de crise de asma?

Quem tem asma sabe como a falta de ar dá angústia. É uma das sensações mais desconfortáveis que podem existir. A respiração fica difícil, pois os brônquios quase se “fecham”. O ar não consegue fluir por um espaço que de repente, fica apertado. Isso é o que chamamos de hiperreatividade brônquica. Pode acontecer por vários fatores: emocionais, alérgicos, infecciosos ou ambientais. E quando acontece, vem a crise aguda. E pode vir forte. Por isso, é importante saber o que fazer nesta hora.

Qual é o tratamento da crise de asma?

Há muitas medicações mas só o médico pode orientar individualmente qual é o melhor tratamento. Alguns medicamentos, por exemplo, atuam especificamente nos brônquios, fazendo com que eles rapidamente se “dilatem”. Isso permite a passagem mais tranquila do ar. Por isso estes remédios são chamados de “broncodilatadores”.

Como eles precisam chegar rápido ao pulmão os medicamentos podem ser administrados por duas vias: inalação (também conhecida como nebulização) ou bombinha (aerossol dosimetrado). Na inalação, o remédio é adicionado ao soro fisiológico. O aparelho transforma esta combinação em uma “nuvem” ou “fumacinha” que deve ser inalada por 5 a 10 minutos, em média, para que toda a medicação seja administrada. Já na bombinha, o medicamento fica dentro de um frasco, guardado sob pressão. Quando o pressionamos, ele já sai na dose certa para ser inalado.

Como crianças e algumas pessoas não conseguem coordenar a inspiração e o jato, há os espaçadores, ou aerocâmeras, que são uns tubinhos colocados entre o frasco e a boca, Isto facilita a aspiração e faz com que a dose completa e exata chegue aos pulmões em 30 segundos. Isto é muito rápido! Por este motivo muitos médicos recomendam as bombinhas porque elas permitem que os brônquios sejam dilatados rapidamente deixando a passagem livre para uma respiração tranquila.

Converse com seu médico, entenda e guarde a orientação completa para o tratamento na crise.

Esteja preparado! Respirar é viver!

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.