Alguém já te falou francamente sobre o pós-parto imediato?
29/10/2018 16:31h

Alguém já te falou francamente sobre o pós-parto imediato? Você sabe que para muitas pessoas nem tudo são flores? Você imagina porque isso acontece?

A maioria das grávidas não consegue acreditar quando os mais experientes falam que é difícil! No fundo, quem nunca passou por isso, pensa: – “o pessoal exagera!” Quem já viveu de perto um pós-parto, já ajudou uma irmã ou uma prima no dia-a-dia com um bebê pequeno sabe bem do que se trata o pós-parto imediato! Quem nunca conviveu com uma mulher nesse momento pode se surpreender com a parte complicada. Afinal, do que estamos falando?

Chegar em casa com esse novo ser nos braços, faz muita gente tremer: “eu não entendo nada de bebês”! Antes, parecia que não era complicado! Porque agora está tudo tão estranho? Está tudo tão estranho porque agora você entrou em uma realidade até então desconhecida. Mas o dia a dia vai, aos poucos familiarizando você e seu companheiro com a nova rotina. Acredite que em 30 dias vocês estarão mais confiantes. Vamos entender as fases pelas quais os recém pais passam:

1. Fase de reconhecimento: o amor pelo bebê para algumas pessoas é instantâneo e avassalador. Porém, para a MAIORIA DAS PASSOAS não é bem assim. É verdade: a maioria das pessoas “estranha” o bebê nos primeiros dias: “ achei que ele seria moreno e ele é branquelo! ” “Achei que seria calmo e ele não para de chorar! ” “Nossa, onde está aquele amor que eu achei que sentiria? ” Ele virá. Para a maioria das pessoas o amor vem com os cuidados, ao conhecer melhor seu bebê e ir aprendendo a lidar com ele. Tenha calma.

2. Fase de aprender: você, que era uma profissional experiente, sabia como resolver os problemas mais difíceis, de repente vê-se estagiária da sua própria vida. “Quem vai me explicar com amamentar? Como viver dormindo tão mal? Como ajudar o bebê a dormir? Como acalmá-lo quando nada faz ele parar de chorar? Dou banho agora ou só à noite? Troco a fralda antes ou depois da mamada?” São milhares de pequenas dúvidas que não tem resposta certa. Depende de você e do seu bebê! Vocês terão que conviver e experimentar para acertar.

3. Fase de nova rotina: você, que sempre foi independente, está agora numa fase em que deve ficar em casa. “Onde está a minha vida?” . Esta é uma pergunta comum. Cuidar de um bebê é um trabalho extenuante, repetitivo, monótono (para os nossos padrões). E é isso mesmo! É dessa monotonia e repetição que o bebê precisa para ir conhecendo o mundo…aos poucos vocês vão se adaptando!

4. Fase de acordar de madrugada: essa é uma parte bem difícil! A privação de sono é um método de tortura! Portanto, lembre-se de que é normal nessa hora achar tudo muito difícil, ter medo de não conseguir e até pensar: “quem inventou essa ideia de ter um bebê??” É perfeitamente normal pensar isso no meio da madrugada quando o bebê não te deixa dormir… Porém, quando amanhecer você verá que não é bem assim…

Junte a todas essas questões uma montanha-russa hormonal que ocorre abruptamente depois do parto te colocando numa TPM que se chama “blues puerperal” e você vai entender porque o primeiro mês de um bebê em casa pode não ser fácil!

O que fazer?

Guarde esse post e releia quando o bebê tiver 10 dias de vida. Você vai se lembrar que tudo é normal e é só uma fase. Mas mais importante: peça ajuda, delegue uma parte. Organize-se para ter alguém para te ajudar com o bebê e a casa. Uma faxineira, empregada, mãe, irmã ou prima. Alguém que possa te ajudar sem ficar te criticando. Una-se ao seu marido, peça a ajuda dele com todas a letras. Cuidar de um recém-nascido e da casa sozinha é possível. Mas pode custar a sua exaustão física e emocional. Chame ajuda! A cuidadora também precisa ser cuidada!