01/04/2019 10:04h

Cuidados com a Febre.

A febre é sempre um sinal de alerta, aprenda a identifica-la e os cuidados com a febre alta. Para saber a temperatura do bebê use um termômetro (há vários tipos, os mais recomendados são os axilares porque são mais precisos – pode ser digital ou de mercúrio). Coloque o termômetro na axila do bebe e segure o braço contra o corpo por três minutos, ou até quando apitar (no caso dos digitais).

Se a temperatura for até 36,9 oC não é febre. Não há nada a fazer.

Se estiver entre 37oC e 37,5oC é uma febrícula ou estado subfebril. Cheque se o bebê não está agasalhado demais ou se precisa mamar um pouco mais. É o que se chama hipertermia. Para saber a diferença de hipertermia e febre, siga esses cuidados com a febre: desagasalhe o bebê e dê um pouco de leite (ou água, caso não esteja mais sendo amamentado). Meia hora depois meça a temperatura de novo. Se ainda estiver mais alta que 37oC , avise o pediatra.
Se a temperatura for maior que 37,5oC é considerado febre. Desagasalhe o bebê e se ainda assim persistir, avise o pediatra ou procure atendimento médico de urgência. Isto porque, ao contrário das crianças maiores, não é possível aguardar para ver a evolução da febre nos bebês com menos de três meses. Neste caso, a febre indica que há uma infecção. Como as defesas dos bebês ainda são muito frágeis é importante detectar o mais rápido possível para seguir com o tratamento adequado. Vá imediatamente ao pronto-socorro se além da febre o bebê tiver qualquer um destes sintomas: vômitos, palidez, respiração difícil, sonolência, diarreia, dificuldade para mamar.

Dra Ana Escobar

Dra Ana Escobar

Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria. Atualmente, é coordenadora da Disciplina de Pediatria Preventiva e Social desse mesmo departamento. Ainda na área educacional, é responsável pelas disciplinas de graduação e pós graduação sensu lato e sensu stricto da Faculdade de Medicina da USP.
Dra Ana Escobar

Últimos posts por Dra Ana Escobar (exibir todos)