Cuidado com a Sífilis - Dra Ana Escobar
09/03/2018 09:33h

Cuidado com a Sífilis

O número de pessoas contaminadas pela bactéria “Treponema pallidum” que causa a sífilis estão aumentando preocupantemente no Brasil.

Principalmente entre os jovens. Todos sabem que devem usar camisinha. Mas na hora “H” não usam. As explicações são muitas: uns dizem simplesmente que “esqueceram”; outros afirmam que “atrapalha”, ou que “corta o clima”; ou que “não veem necessidade, pois conheço bem a pessoa com quem me relaciono”…a imaginação é o limite para as “desculpas”. Fato é que a camisinha está sendo relegada a um plano secundário.

Resultado desta displicência consciente: a sífilis, a AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis começaram a voltar.

A sífilis é antiga na história humana. Há tratamento simples e eficaz. Por isso talvez ninguém dê muita  importância para ela. Mas é importante ter conhecimento sobre alguns pontos essenciais, para não cair nas 4 “armadilhas”,  que esta bactéria pode causar.

Vamos lá:

  1. Sífilis congênita:Moças grávidas contaminadas podem passar sífilis para os seus bebês intraútero. Estes bebês podem nascer bastante comprometidos, com  feridas pelo corpo, com os dentes deformados e  podem  ser portadores de deficiência auditiva, visual ou mental. Além disso,  podem apresentar  problemas respiratórios como a pneumonia, que pode levar ao óbito.
  1. Sífilis primária:é a primeira fase da sífilis que acontece logo após o contagio. Surgem uma ou mais lesões vermelhas, que parecem uma espinha, na região genital de homens ou de mulheres contaminados. Os gânglios da virilha ( bolinhas ou caroços) podem aumentar. O problema é que estas lesões não doem muito e muitas vezes todo esse quadro passa despercebido e desaparece. As pessoas nem sabem o que tiveram e seguem a vida. Mas a bactéria segue incógnita seu caminho, e depois de 6 semanas a 6 meses surge a sífilis secundária.
  1. Sífilis secundária:neste estágio surgem lesões vermelhas no corpo, principalmente na palma das mãos e plantas dos pés, que também não coçam e não doem. Muitos acham que é uma “virose”  ou uma “alergia”. Depois de um tempo desaparece. Porém, se não tratada neste estágio, pode evoluir para a sífilis terciária.
  1. Sífilis terciária:é a forma mais avançada e mais grave da sífilis. Pode levar  10 anos ou até mais que isso para se manifestar. Surgem as “gomas sifilíticas” que são tumorações moles que podem aparecer na pele ou em outros órgãos. Pode acometer o sistema nervoso central ou o sistema cardiovascular e evoluir para o óbito.

Melhor ter um “clima cortado” na hora de colocar a camisinha do que ter a “vida cortada” por essa ou outras doenças.