/

Ansiedade: o que é e como lidar com ela?

A ansiedade é um desconforto muito frequente nos dias atuais. Pode acontecer em todas as idades: crianças, adolescentes, adultos e até os idosos estão mais ansiosos. Quais as causas para o aumento de ansiedade no mundo de hoje? Será que o uso de eletrônicos e as redes sociais tem a ver com isso? Vamos entender.

 

O que é a ansiedade?

A ansiedade é um desconforto que surge do nada, dando uma sensação de “bolo” na garganta, medo, mal-estar, suor frio e incapacidade de conseguir fazer qualquer coisa. A ansiedade paralisa as pessoas.

Outros sinais e sintomas que também são frequentes: tontura, aumento da frequência cardíaca, sensação de desmaio, enjoo, boca seca, falta de ar, tremores nos dedos das mãos ou vontade de chorar, por exemplo.

O problema é que nem sempre se consegue identificar uma causa evidente para este desconforto. Pode ser qualquer coisa, e pode acontecer de repente, sem nenhuma explicação.

Todo mundo já se sentiu ansioso em algum momento da vida. A ansiedade faz parte de nossas emoções, tais como sensações de alegria ou tristeza, satisfação ou arrependimento, insegurança ou certeza absoluta… e tantas e tantas outras.

A ansiedade, portanto, é normal em algumas situações do dia a dia como, por exemplo, começar um emprego ou um namoro, a expectativa de uma viagem muito planejada, o jogo do seu time na final do campeonato, a necessidade de fazer uma cirurgia, o nascimento de um filho, ou de um neto… enfim… a razão para a ansiedade pode ser uma coisa alegre ou triste. O lado bom deste tipo de ansiedade é nos preparar para enfrentar situações importantes.

Quando em excesso, a ansiedade passa a ser um problema.

MUITAS pessoas ficam extremamente ansiosas. Por tudo e por nada. Aí a ansiedade atrapalha porque impede que tenhamos um comportamento mais tranquilo frente às dificuldades que, afinal, existem e são frequentes em nossa vida.

Nesta situação, não é só a cabeça que não relaxa. O corpo não relaxa. Fica em estado de alerta constante e produz muita adrenalina, que é o hormônio do “stress”. Resultado: o coração bate mais rápido, a respiração acelera, a pressão pode subir… e este estado de tensão constante pode levar a problemas sérios de saúde, como um infarto no coração, por exemplo.

 

Ansiedade pode ser genética?

As características genéticas e o ambiente em que vivemos é que definem quem somos e o nosso comportamento.

Observe os irmãos de uma mesma família. Um pode ser mais calmo, e o outro, muito mais ansioso.  Criados pelo mesmo pai, mesma mãe, no mesmo ambiente, com a mesma alimentação e mesma educação. O que os torna diferentes em grande parte são as diferentes heranças genéticas. Inclusive para a ansiedade. Cientistas demonstraram que a produção de alguns neurotransmissores responsáveis por comportamentos mais ou menos ansiosos é determinada pelos nossos genes herdados.

Portanto, É VERDADE. A ansiedade pode, sim ter causas genéticas associadas.

 

O que é o Transtorno de Ansiedade?

Quando os sintomas de ansiedade são constantes, recorrentes, quase que diários, sem uma razão clara para tal, pode-se tratar de um distúrbio mais sério que se chama Transtorno de Ansiedade.

Nestes casos, recomenda-se que se procure ajuda médica pois há remédios que podem ser indicados e que funcionam bastante.

A psicoterapia é essencial e ajuda muito.

Lembre-se que o que serve para uma pessoa pode não servir para outra. Só o médico e o psicoterapeuta é que podem indicar o melhor tratamento para você.

 

O uso de eletrônicos pode deixar as pessoas mais ansiosas?

Sim. Cada vez mais estudos científicos demonstram que o uso excessivo de eletrônicos, principalmente por adolescentes que vivem conectados e em redes sociais, pode levar à maior ansiedade e também gerar sintomas depressivos.

Muitas razões são apontadas para tal, destacando-se as duas abaixo, muito observadas em adolescentes, principalmente:

  • As redes sociais fazem com que as pessoas criem “personagens” delas mesmas. Postam as suas melhores fotos, seus melhores momentos, os pratos mais exóticos que comeram ou as viagens mais fantásticas que fizeram, por exemplo. Criam um personagem virtual que deve ser “alimentado” todos os dias. Porém, muitas vezes este personagem virtual se distancia do personagem real. Resultado: quando a pessoa “real” tem que encarar presencialmente outras pessoas, pode haver conflitos internos geradores de ansiedade.
  • O uso constante de eletrônicos diminui o tempo das relações presenciais, levando a um maior isolamento e solidão. O sentimento de solidão real, cercado de muitas pessoas virtuais e com vínculos afetivos frágeis pode desencadear ansiedade.

 

Ansiedade tem tratamento?

Sim. Essa é a boa notícia. O tratamento psicoterápico, associado ou não aos medicamentos indicados pelos profissionais habilitados atenuam muito os quadros de ansiedade e, em muitos casos, as pessoas sentem-se livres das sensações desagradáveis e conseguem ter uma vida mais tranquila e produtiva.

 

Tem como evitar ou diminuir os momentos de ansiedade?

Sim. E sabe o que funciona bastante? Preste atenção nestas três dicas simples e incrivelmente eficazes:

  1. Aprenda a relaxar.

Tire pelo menos meia hora do dia para você. Faça algo que relaxe sua mente.

Aprenda a relaxar a cabeça todos os dias. Tem que treinar. Isso mesmo! Aprender a relaxar a cabeça é um exercício. Ninguém faz uma meia maratona sem treinar o corpo para isso. Relaxar a cabeça exige treinamento e vontade. Cada um pode relaxar a cabeça do jeito que considerar mais gostoso. Dedique pelo menos meia hora do seu dia para isso. Primeiro por alguns minutos e depois vá aumentando, aumentando… até idealmente, chegar a uma hora.

Nesse período, tente ficar sem olhar o celular. Relaxe e se concentre em coisas que te tranquilizam. Cada um decide o que mais traz paz de espírito. Aqui vão algumas sugestões: caminhe num parque, ao ar livre, ou até mesmo num shopping olhando as lojas e se imaginando com cada roupa que achar legal. Ande de bicicleta, assista na TV o que você mais gosta, arrume tempo para cochilar depois do almoço, ouça música, vá ao cabeleireiro, enfim… experimente! Comece devagar e gradualmente dedique uma parte do seu dia só para você. Só para você!

Não é impossível.

  1. Exercícios físicos.

Mexa-se. Basta caminhar meia hora por dia. Ouça música enquanto isso. Se você relaxar a cabeça com os exercícios físicos, estará realizando as duas dicas ao mesmo tempo!

  1. Cultive laços de amizade presenciais. 

Tenha amigos. Converse, brinque, relaxe com seus amigos presencialmente, olhos nos olhos. Demonstre mais seus sentimentos com palavras e menos com as carinhas dos emojis.

Relaxar, ter amigos e movimentar-se todos os dias. Isso promove saúde.

 

Acupuntura ajuda no tratamento da ansiedade?

A acupuntura é uma técnica utilizada há mais de 4000 anos na China.  No final do século 20 foi reconhecida, também no Ocidente, como uma técnica de tratamento eficaz.

Consiste na colocação cuidadosa, por profissionais habilitados, de agulhas extremamente delicadas em pontos meticulosamente estudados que estimulam fibras nervosas específicas.

Com isso, obtém-se a liberação de substâncias como endorfinas e serotonina que, sabidamente, diminuem o estresse. Estudos comprovam a eficácia da acupuntura no tratamento da ansiedade. Portanto, É VERDADE.

Bom, espero ter solucionado essas questões sobre a ansiedade. Além disso, para complementar a sua leitura, recomendo esse artigo com outras dicas para diminuir o estado de ansiedade. Clique no link e boa leitura!

Publicado por Dra. Ana Escobar
Dra. Ana Escobar é médica pediatra formada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), pela qual também obteve Doutorado e Livre Docência no Departamento de Pediatria.